Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

PS diz que é "especulação" assumir que SIRP nada fez sobre denúncias de caso de refugiados ucranianos

05 mai, 2022 - 00:02 • João Malheiro

Pedro Delgado Alves defende que é preciso confiar nos serviços de informação, mas admite que os mesmos tenham de ser alvo de escrutínio nesta matéria "sensível".

A+ / A-

O deputado do Partido Socialista (PS), Pedro Delgado Alves, defende que é especulação considerar que o SIRP não tenha feito nada depois de receber a denúncia sobre os refugiados ucranianos, há um mês, a 2 de abril.

À Renascença, o socialista diz que é preciso confiar nos serviços de informação, mas admite que os mesmos tenham de ser alvo de escrutínio nesta matéria.

"A natureza do SIRP não é de publicitar a diligências que desencadeia ou que já poderia estari a desencadear quando recebeu estas denúncias. É da própria natureza dos serviços secretos ter uma atuação especialmente discreta, cuidadosa, reservada, confidencial, secreta e classificada", aponta.

A Iniciativa Liberal (IL) vai chamar ao Parlamento a secretária-geral do Sistema de Informações da República Portuguesa (SIRP), Graça Mira Gomes, para esclarecimentos sobre o caso dos refugiados ucranianos recebidos por associações pró-Putin.

O pedido foi avançado à Renascença pelo líder parlamentar da Iniciativa Liberal, Rodrigo Saraiva.

Em reação, Pedro Delgado Alves diz que "compreende" a posição dos liberais e que o PS "vai analisar o requerimento".

O deputado socialista classificou ainda o caso como "sensível".

O Sistema de Informações da República Portuguesa (SIRP), organismo público na dependência direta do primeiro-ministro, foi informado do caso dos refugiados ucranianos, por carta, há um mês (consulte o documento em PDF).

A informação foi avançada à Renascença pelo presidente da Associação de Ucranianos em Portugal, Pavlo Sadokha.

O email a denunciar que refugiados estavam a ser recebidos por associações pró-Rússia foi enviado a 2 de abril e não obteve resposta, até agora.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+