Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

XXIII Governo Constitucional

"Contas certas". Medina aponta redução da dívida pública como uma das "prioridades fundamentais"

29 mar, 2022 - 19:40 • Lusa

Sobre questões relativas ao Orçamento do Estado ou a metas do défice, Medina recusou-se a responder, remetendo essas respostas para depois de tomar posse como ministro das Finanças, esta quarta-feira.

A+ / A-

O futuro ministro das Finanças, Fernando Medina, definiu esta terça-feira a redução da dívida pública como uma das suas "prioridades fundamentais", considerando que ter "contas certas" é uma condição para ter "credibilidade internacional" e "melhores instrumentos de apoio à economia".

"É uma das prioridades fundamentais. O país entende bem que as contas certas, as finanças saudáveis, são uma condição para nós termos melhores instrumentos de apoio à economia, de vida das famílias, das empresas, em todos os contextos e, principalmente, nos mais adversos", frisou Fernando Medina, em declarações à RTP, nos corredores da Assembleia da República.

O ex-autarca de Lisboa, que vai suceder a João Leão como ministro das Finanças, sublinhou que ter contas certas é um "ativo muito importante de credibilidade internacional, de melhoria das condições de financiamento", fazendo, por isso, parte da "linha fundamental do ponto de vista político".

Questionado se será um ministro das Finanças capaz de dizer "não", Fernando Medina respondeu: "O Governo tem um objetivo muito claro e um programa muito claro relativamente à dimensão da consolidação das finanças públicas, de redução da dívida, na qual eu me revejo totalmente".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+