Tempo
|
A+ / A-

Costa diz que legislação sobre circulação na CPLP é prioridade do próximo Governo

05 mar, 2022 - 22:42 • Lusa

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou hoje que é prioridade do próximo Governo fazer aprovar a legislação que vai agilizar a circulação de pessoas da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

A+ / A-

"Será seguramente uma prioridade do próximo Governo fazer aprovar na Assembleia da República a legislação que permita agilizar esta circulação entre todos os países da CPLP e, desde já, entre os guineenses e Portugal e dos portugueses para a Guiné também", afirmou António Costa numa declaração à imprensa no Palácio do Governo em Bissau, onde está para uma visita de cerca de 24 horas.

Segundo o primeiro-ministro, a Guiné-Bissau e Portugal estão entre os países que já ratificaram o acordo de mobilidade da CPLP e, assim que se iniciar a nova legislatura, a legislação portuguesa será adaptada em "matéria de visto e autorização de residência".

"Nós iremos adaptar a nossa legislação em matéria de visto e autorização de residência ao novo acordo de mobilidade de forma a cumprir o objetivo desse acordo que é eliminar barreiras de circulação entre os cidadãos da CPLP e designadamente dos guineenses que queiram visitar, viver, estudar, trabalhar, investir e fazer turismo em Portugal", salientou António Costa.

"Essa agilização de circulação será feita e designadamente para todos aqueles que se inscrevam e se matriculem numa universidade, politécnico e escola portuguesa, se não houver nenhuma indicação em contrário no registo criminal, automaticamente o visto será emitido e não haverá perda de tempo, nem na apreciação do pedido, nem na concessão dos vistos, nem atrasos na chegada para o início do ano letivo", afirmou.

Antes, o primeiro-ministro guineense, Nuno Gomes Nabiam, já tinha afirmado que a questão dos vistos dos estudantes guineenses estava a ser tratada com o Governo português e que o assunto seria ultrapassado brevemente.

Milhares de estudantes guineenses solicitam anualmente ao Estado português vistos de estudo para frequentar o ensino superior em Portugal, principalmente politécnicos.

Muitos desses estudantes têm reclamado das demoras na concessão dos vistos, que chegam a ser atribuídos muito depois de o ano letivo ter começado.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    06 mar, 2022 Lisboa 14:00
    Se calhar o combate à Pobreza, à Desigualdade, à Dependência Estrangeira, às empresas Estratégicas estarem todas ou quase nas mãos de Estrangeiros, à Defesa ser uma anedota, aos Elefantes Brancos (Banca, TAP, CP, PPP's, etc) que andamos a sustentar, aos impostos estranguladores e aos salários de miséria, a que se juntam os impostos exorbitantes sobre os combustíveis, eram capazes de serem prioridades mais bem aceites pelo Povo Português. Mas claro, continua a não haver Oposição que diga isto ...

Destaques V+