Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Ministério da Justiça "criou todas as condições" para combater o cibercrime, diz Van Dunem

10 fev, 2022 - 18:20 • Liliana Carona com Redação

Francisca Van Dunem defende que o Ministério da Justiça "criou todas as condições para que a Polícia Judiciária estivesse apetrechada" para combater o cibercrime.

A+ / A-

A ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, admite estar "preocupada" com a onda de ciberataques que têm ocorrido, em Portugal.

Numa visita ao Estabelecimento Prisional (EP) de Viseu, por ocasião da inauguração das novas instalações, Van Dunem diz aos jornalistas que "todos têm de estar preocupados", mas garante que o país está preparado "na medida do possível".

"Não há nenhum país que esteja completamente imune a estes ataques. Já vimos o Pentágono a ser atacado. Não podemos dizer que o país está imune, mas que estão reunidas as condições para que o país se possa defender em situação de ataque", refere a ministra.

Francisca Van Dunem defende que o Ministério da Justiça "criou todas as condições para que a Polícia Judiciária estivesse apetrechada" para combater o cibercrime.

"Temos de ter noção que estas matérias são muito evolutivas, do ponto de vista das tecnologias e da capacidade disruptiva de quem age contra os sistemas. Precisamos de acompanhar e fazer formação em permanência para acompanhar estes fenómenos", apela.

Apesar dos vários ataques informáticos no último mês, a ministra da Justiça não quer que se gere um sentimento de insegurança no país e que o que é necessário é que as polícias internacionais trabalhem para criar "um ciberespaço com segurança".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+