Tempo
|
A+ / A-

Legislativas: BE alerta para os perigos das maiorias absolutas e promete oposição exigente

01 fev, 2022 - 19:33 • Lusa

A coordenadora do BE reiterou que as maiorias absolutas não deixaram "boas memórias no país até hoje", inclusivamente a última, que também foi do PS, no Governo então liderado por José Sócrates.

A+ / A-

A coordenadora do BE, Catarina Martins, alertou hoje para os perigos das maiorias absolutas, que não deixaram "boas memórias" e "são permeáveis ao poder económico", prometendo uma oposição "construtiva e exigente" ao futuro Governo do PS.

"O Partido Socialista teve uma maioria absoluta e, portanto, o que transmitimos ao senhor Presidente da República é que o Partido Socialista deve formar Governo. O Bloco de Esquerda estará na oposição de uma forma construtiva e exigente e com o programa que nos conhecem e o mandato com que fomos eleitos, nomeadamente nas questões do trabalho, da saúde e do clima", disse aos jornalistas à saída da audiência de uma hora com Marcelo Rebelo de Sousa, no Palácio de Belém.

A coordenadora do BE reiterou que as maiorias absolutas não deixaram "boas memórias no país até hoje", inclusivamente a última, que também foi do PS, no Governo então liderado por José Sócrates.

"Sabemos dos perigos da maioria absoluta, sabemos como as maiorias absolutas são permeáveis ao poder económico e, portanto, cá estaremos no papel exigente que o BE sempre teve e que não deixará de ter para defender o nosso país", comprometeu-se.

Para Catarina Martins, "há um trabalho muito exigente de oposição" -- "reforçadamente exigente", acrescentou - para "garantir que o interesse público é respeitado, para proteger o país da predação das elites económicas" que têm ficado com os recursos dos portugueses.

"Essa responsabilidade é acrescida e toda a gente sabe no país que o Bloco de Esquerda é incansável sobre essa matéria", afirmou.

Na análise da líder do BE, "o Presidente da República terá seguramente responsabilidades institucionais que existem no sistema português, que é um sistema em que tem esse equilíbrio de poderes".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Digo eu
    01 fev, 2022 Que já vi isto 21:53
    Quando há uma Maioria Absoluta, não se pode falar em "Oposição" mas sim em "Protesto". Oposição, oposição, não conseguem opor-se a nada uma vez que o PS tem a Maioria Absoluta e esta-se borrifando para os vossos debates palavrosos na AR. Se querem realmente fazer "oposição", apresentem provas de corrupção que hão-de aparecer num partido com tiques autoritários e todo "inchado" por ser maioritário, arregacem as mangas e protestem nas ruas, que no parlamento, são 5 contra 117.

Destaques V+