Tempo
|
A+ / A-

Legislativas

Costa diz que PS nunca vira a cara à luta

25 jan, 2022 - 12:01 • Lusa

"Somos como o povo de Matosinhos, gente que se faz ao mar quando o mar está bravo ou quando está chão, mas nunca viramos a cara à luta", declarou o líder socialista.

A+ / A-

Veja também:


O secretário-geral socialista recuperou hoje a ideia de Mário Soares de que quando há luta eleitoral "mais força tem o PS" e, numa alusão às mais recentes sondagens, advertiu que nunca há vitórias antecipadas.

António Costa falava a meio de mais uma receção eufórica para os socialistas no Mercado Municipal de Matosinhos, concelho que é um dos principais bastiões deste partido desde as primeiras eleições em democracia.

"Somos como o povo de Matosinhos, gente que se faz ao mar quando o mar está bravo ou quando está chão, mas nunca viramos a cara à luta. E, quando a luta exige mais, então mais força tem o PS", declarou António Costa perante centenas de apoiantes visivelmente eufóricos, tendo ao seu lado a presidente da Câmara, Luísa Salgueiro.

No breve discurso que fez, esteve sempre subjacente o conjunto das mais recentes sondagens que indicam um quadro de bipolarização e de equilíbrio eleitoral entre o PS e o PSD.

"Temos todos de nos mobilizar para uma grande vitória que nos permita continuar a avançar, continuar a melhorar o rendimento das famílias, para termos um Serviço Nacional de Saúde mais forte, para que a economia melhor e haja mais e melhor emprego", disse.


Depois, o secretário-geral do PS voltou a sustentar a tese de que esses objetivos só podem ser concretizados se voltar a formar Governo.

"Para isso, é preciso o PS ganhar no próximo domingo. Muitos me disseram aqui que já está ganho. Mas queria chamar a atenção que nunca há vitórias antecipadas", advertiu.

Neste contexto, repetiu que "as vitórias só existem no dia das eleições".

"É fundamental que se vote no próximo domingo para que a vitória existe mesmo. Vamos votar, votar, votar no próximo domingo", acrescentou, numa ação de campanha que teve sempre na primeira fila o presidente da Federação do Porto do PS, Manuel Pizarro, o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, e o cabeça de lista pelo círculo eleitoral do Porto, Alexandre Quintanilha.

Antes de abandonar o Mercado de Matosinhos, como acontece tradicionalmente com líderes socialistas, António Costa foi levantado em ombros por apoiantes, que gritavam "vitória, vitória, vitória".

Durante os cerca de 45 minutos de visita ao Mercado Municipal, António Costa foi abraçado por apoiantes, sobretudo por peixeiras, com quem travou animadas conversas.

O único momento sem confusão nesta ação de campanha aconteceu quando o secretário-geral do PS visitou uma start-up que está instalada no primeiro piso do mercado.

O gestor da "Vestígios", que faz a promoção do designe português -- e que já explora os mercados de Macau e da China - fez elogios à escolha do mercado de produtos alimentares para a instalação da sede da start-up. "é uma coligação que funciona bem", declarou.

António Costa à Renascença. A entrevista na íntegra
António Costa à Renascença. A entrevista na íntegra
Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+