Tempo
|
A+ / A-

Legislativas. Costa aproxima Rio do Chega

17 jan, 2022 - 13:24 • Susana Madureira Martins , Marta Grosso

“Quando se começa a achar que a prisão perpétua pode não ser bem uma prisão perpétua é o primeiro passo para começar a achar que o racismo não é bem racismo”, defende o líder socialista.

A+ / A-

Veja também:


António Costa radicaliza o PSD e aproxima Rui Rio do Chega. O líder do PS falava nesta segunda-feira de manhã sobre questões de igualdade num encontro com militantes em Lisboa e alertou contra os perigos de partidos de extrema-direita condicionarem os partidos democráticos e do centro.

“Quando se começa a achar que a prisão perpétua pode não ser bem uma prisão perpétua é o primeiro passo para começar a achar que o racismo não é bem racismo, que a xenofobia não é bem xenofobia, que a homofobia não é bem homofobia e que o reconhecimento da desigualdade de género não é nem o reconhecimento da desigualdade de género”, afirmou, para logo defender que “há valores que não são relativizáveis, não são mitigáveis, não são normalizáveis”.

O líder socialista retomou, assim, a questão da prisão perpétua que marcou o debate televisivo entre André Ventura, do Chega, e Rui Rio, PSD. No seu entender, começa a abrir-se uma brecha no sistema democrático.

António Costa deixou ainda avisos sobre a posição assumida pelo líder social-democrata – mas sem nunca o nomear – sobre o sistema misto de Segurança Social.

“Portanto, quando se vê aparecer na televisão, com um ar muito moderno, uns candidatos a dizer 'nós temos aqui umas novas ideias, vamos ter uma Segurança Social que é um sistema misto, vamos libertar os cidadãos da carga fiscal', aquilo de que estão a libertar os cidadãos não é da carga fiscal; o que estão a impor aos cidadãos é um enorme risco para as gerações futuras, para as gerações presentes que é deixarmos de ter um sistema de Segurança Social que seja sustentável e em que se firme esse contrato intergeracional”, criticou.

Costa falava no Teatro Thalia, em Lisboa, voltou a defender a discussão em torno da semana de quatro dias, dando o exemplo que já se pratica na autarquia de Mafra. Este tipo de abordagem à semana de trabalho poderá ser, na sua opinião, uma contribuição muito grande para reduzir as emissões de dióxido de carbono.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • a souza souza
    18 jan, 2022 Vila Pouca de Aguiar 17:02
    A raposa chega a vila no interior do país. As pessoas aproximam-se e dizem-lhe: Senhor Primeiro...., a gente aqui tem dois grandes problemas. - (vamo lá ver) Qual é o primeiro?Não temos médico de família.A raposa pega no telemóvel, caminha falando e na volta diz:Pronto, amanhã chega um médico. Qual é o segundo problema? Aqui não temos rede móvel....

Destaques V+