Tempo
|
A+ / A-

Legislativas 2022

Rio admite privatização da CGD, "se começar a ter problemas". Cotrim admite acordos com PSD

10 jan, 2022 - 23:25 • Susana Madureira Martins

Líderes do PSD e da Iniciativa Liberal concordam na redução dos impostos, na melhoria do ensino e do SNS e na privatização da TAP.

A+ / A-

Rui Rio admite um cenário de privatização da Caixa Geral de Depósitos.

No debate desta segunda-feira à noite na SIC Notícias com João Cotrim Figueiredo, o líder do PSD divergiu do presidente da Iniciativa Liberal (IL) e admitiu essa hipótese, no caso do banco público começar a dar prejuízo, algo que não se coloca, neste momento.

“Uma vez que a CGD está capitalizada, está equilibrada, não está a dar prejuízo aos contribuintes - bem pelo contrário - acho que temos aqui uma divergência: um banco público faz sentido, mas não é um dogma, porque, se começar a ter problemas, não tem de ficar público ad eternum”, disse Rio.

O debate entre PSD e IL ficou marcado por algumas convergências entre os dois partidos e pela possibilidade de um entendimento pós eleitoral.

Cotrim Figueiredo admite mesmo um acordo de incidência parlamentar, sem exigir lugares num eventual governo do PSD

“Nunca nos batemos por cargos, o que interessa são as ideias. É evidente que a confiança e a determinação das pessoas que levam essas ideias à prática conta, mas o essencial é que Portugal tenha, finalmente, um conjunto de políticas liberais que possam produzir crescimento”, disse o líder da IL.

Na resposta, Rui Rio admitiu que a convergência com a IL não é difícil, mas ressalva contudo que o modelo dos liberais para tirar o Estado da sociedade é que o distingue dos social democratas.

Contrapondo, o líder da IL pede rasgo e pressa a Rui Rio para mexer em sectores como a saúde e política fiscal.

Separados pelos impostos, educação e TAP

Ambos os líderes quiseram mostrar as divergências de fundo que têm por exemplo em relação à política fiscal, com o IRS à cabeça.

Rui Rio critica a proposta da IL de criar uma taxa única: “é um mundo maravilhoso, só que o Orçamento não aguenta”.

“Eu quero mexer nos escalões de uma tal maneira que as pessoas passem a pagar menos. E vão passar a pagar menos de uma forma faseada, não é tudo de uma vez só e não será uma taxa única. A questão do IRC é a mesma coisa”.

Outra área em que Rio e cotrim Figueiredo divergiram foi a do acesso à educação no público e privado, tal como a privatização da TAP: Cotrim Figueiredo defende, desde já, a entrega da companhia aos privados.

Rio acha que isso iria fazer com que à partida o Estado perdesse os 2 mil milhões que já investiu.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ze
    11 jan, 2022 aldeia 09:10
    A privatização da CGD é um risco enorme, para se falar nesta medida é porque Portugal está mesmo mal de finanças, é um risco para as reformas e pensões e para todo o tipo de movimento de capitais, nem o Chega apresentou esta proposta, agora o PSD vem com a ideia, ainda bem que nos tempos que correm é dificil haver maiorias absolutas, nisto o povo aprendeu,espera-se que aprenda de novo e que haja uma nova vida neste pais

Destaques V+