Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Legislativas. PSD fez "brainstorming" sobre coligação com CDS, mas sem decisão

17 nov, 2021 - 14:04 • Lusa

"Entre muitos assuntos, também foi debatida essa matéria, mas sem qualquer deliberação final", afirmou Rui Rio aos jornalistas.

A+ / A-

O presidente do PSD e recandidato ao cargo admitiu nesta quarta-feira que o tema de uma eventual coligação pré-eleitoral com o CDS-PP foi discutido na última reunião da direção, "mas sem qualquer deliberação final".

No final de uma reunião com a CIP (Confederação Empresarial de Portugal), Rui Rio foi questionado sobre notícias que dão conta de que a sua direção teria rejeitado a possibilidade de ir a votos nas legislativas de 30 de janeiro em listas conjuntas com o CDS-PP.

"Só confirmo que, entre muitos assuntos que foram debatidos, também foi debatida essa matéria, mas sem qualquer deliberação final", afirmou.

Rio explicou que colocou o assunto na reunião da comissão política nacional de uma forma "informal" e não ainda "do ponto de vista formal".

"Na situação presente, uma das coisas que é importante é se o PSD vai sozinho ou não vai sozinho. Fizemos um 'brainstorming' para toda a gente dar a sua opinião", afirmou, não querendo alongar-me mais em questões internas.

O jornal online Observador noticiou na terça-feira que foram vários os membros da Comissão Política Nacional de Rio a rejeitarem uma coligação pré-eleitoral com o CDS-PP, depois de o presidente do PSD ter dito, em entrevista à Antena 1, ser "tendencialmente a favor" desse cenário.

Na mesma linha, Rio também não quis responder à acusação do seu opositor interno Paulo Rangel de que estaria a fazer campanha com os meios do partido. .

"Não quero responder a nenhuma crítica interna", insistiu.

Na semana passada, Rio anunciou que renunciaria a fazer campanha interna para as diretas de 27 de novembro que escolherão o próximo presidente do PSD, justificando que se quer concentrar na oposição ao Governo com vista às legislativas de 30 de janeiro.

Nesta quarta-feira, foi na qualidade de presidente do PSD que foi recebido pela CIP, depois de na terça-feira também se ter deslocado nessa condição a uma empresa de calçado em Felgueiras.

Na quinta-feira, Rio já tem marcados dois pontos de agenda como presidente do partido: uma visita a um hospital em Setúbal e uma audiência com a UGT.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+