Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

OE 2022. Costa desdramatiza impasse, mas avisa que "sem contas certas não há futuro"

19 out, 2021 - 13:53

"Eu tenho sentido – e não tenho razão para pensar o contrário – que todos têm um espírito construtivo e vamos analisar”, afirma o primeiro-ministro.

A+ / A-

O primeiro-ministro baixa a tensão na discussão da proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022). António Costa espera que a "discussão aberta" com a esquerda permita viabilizar o documento, mas avisa que "sem contas certas não há futuro".

O chefe do Governo, que falava no final da cerimónia de concessão de honras de Panteão Nacional a Aristides de Sousa Mendes, diz sentir espírito construtivo nos parceiros à esquerda com quem está a discutir o OE2022.

António Costa diz que, se assim for, vai ser conseguido um bom Orçamento e promete analisar com atenção e de forma aberta as propostas desde que as contas sejam certas.

“Estamos a fazer essa discussão aberta. Eu tenho sentido – e não tenho razão para pensar o contrário – que todos têm um espírito construtivo e vamos analisar”, disse o primeiro-ministro.

“Eu acho que se todos tivermos um espírito construtivo, tal como temos vindo a fazer desde 2016, continuaremos a disponibilizar a Portugal e aos portugueses um bom Orçamento, ajustado a estes tempos, que nos permita a recuperação económica, a melhoria dos rendimentos das famílias, melhores serviços públicos e contas certas, o que é absolutamente fundamental, porque sem contas certas não há futuro para ninguém”, declarou António Costa.

As reuniões sobre o Orçamento vão continuar. O primeiro-ministro vai reunir-se esta terça-feira com o Bloco de Esquerda e com o Partido Comunista.

Em declarações aos jornalistas, a líder do PAN, Inês Sousa Real, dá conta de abertura para negociar com o Governo e avisa que os próximos dias vão ser decisivos.

“O avanço que neste momento podemos dizer que existe é no sentido de haver abertura ao diálogo, haver também uma disponibilidade para que se consiga encontrar pontos de convergência, mas são momentos muito trabalhosos e complexos”, disse Inês Sousa Real.

“Neste momento, há medidas em que o Governo mostrou abertura, mas já o tinha feito aquando dos escalões de IRS ou de medidas de combate à pobreza, como o projeto Housing First, de programas de habitação, de transportes públicos… Havia já uma sinalização, que para o PAN era insuficiente. Esperamos que o Governo seja mais ambicioso e que acolha mais medidas do PAN no Orçamento do Estado, caso ele venha a ser viabilizado. Para isso, estes dias vão ser fundamentais. Vamos ter reuniões setoriais e depois uma reunião com o senhor primeiro-ministro”, sublinhou a líder do PAN.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+