Tempo
|
A+ / A-

Eurodeputado Francisco Guerreiro vai filiar-se no Volt

17 out, 2021 - 18:45 • Lusa

O eurodeputado independente Francisco Guerreiro (ex-PAN) vai filiar-se no Volt quando terminar o seu mandato em Estrasburgo.

A+ / A-

O eurodeputado independente Francisco Guerreiro (ex-PAN) vai filiar-se no Volt quando terminar o seu mandato em Estrasburgo, anunciou este domingo o partido europeísta.

A eleição da nova direção do Volt Europa, Francesca Romana D"Antuono e Renier van Lanscho para copresidentes europeus, decorreu na assembleia-geral, no sábado e hoje, no Centro de Congressos de Lisboa, e a que assistiram presencialmente cerca de 500 membros e, por via digital, cerca de mais 18 mil, acrescentou a organização em comunicado. .

Além dos copresidentes, foram eleitos para a direção Anouk Ooms, Lucia Nass, Ines Consonni, Thor Larholm, Charles Evain, Lucas Cornexl e o tesoureiro será Johannes Heinrich, lê-se ainda no comunicado. .

Na reunião magna falou-se também sobre os "Desafios da Europa", num debate com a participação da antiga eurodeputada e candidata à Presidência da República em 2020, Ana Gomes, e dos eurodeputados Damian Boeselager (Volt) e Francisco Guerreiro, que em 2020 se desvinculou do Pessoas-Animais-Natureza (PAN). .

O Volt Portugal anunciou ainda a filiação futura de Francisco Guerreiro citando as declarações do eurodeputado no comunicado: "A minha aproximação ao Volt é natural porque este é um movimento ecologista e europeísta que combate os populismos e as ideologias mais extremadas na União Europeia.".

"Independentemente do meu futuro político e profissional, no primeiro dia depois do final do meu mandato juntar-me-ei oficialmente ao Volt Portugal, garantindo que até lá cumpro com o programa para o qual fui eleito respeitando as prioridades políticas a que me propus. Prioridade estas que convergem em boa parte com a visão do Volt", lê-se ainda.

O Volt Europa é um partido federalista e pan-europeu que surgiu internacionalmente como movimento em março de 2017, como reação ao "Brexit", iniciado por um coletivo de estudantes nos EUA. .

Andrea Venzon é o fundador deste movimento, que já é partido político em vários países europeus, nomeadamente em Portugal, Alemanha, Bulgária, Bélgica, Espanha, Holanda, Itália, Áustria, Luxemburgo, Dinamarca, França, Reino Unido ou Suécia. .

O movimento, que surgiu em Portugal a 28 de dezembro de 2017 e foi oficializado como partido político pelo Tribunal Constitucional em junho de 2020, conta com um eurodeputado no Parlamento Europeu, Damian Boeselager, eleito pelo Volt Alemanha nas eleições de maio de 2019.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+