Tempo
|
A+ / A-

Santana Lopes fala em "vitória extraordinária" na Figueira

26 set, 2021 - 22:09 • João Malheiro

Projeções da RTP, elaboradas pela Universidade Católica, indicam vitória por entre 41 e 46% dos votos. Pedro Santana Lopes criticou, ainda, o PSD, pelo comportamento durante a campanha eleitoral.

A+ / A-

"Uma vitória extraordinária" e uma "proeza sem igual". Foi desta forma que Pedro Santana Lopes reage às projeções que lhe dão o triunfo na Câmara da Figueira da Foz.

Pedro Santana Lopes poderá voltar a ser, novamente, presidente da Câmara da Figueira da Foz, indicam as projeções da RTP elaboradas pela Universidade Católica.

Santana, que liderou o município entre 1997 e 2001, concorreu agora como independente e, a confirmarem-se as projeções, conseguiu uma clara maioria entre 41 e 46% dos votos expressos pelos eleitores, que podem traduzir-se em cinco lugares de vereação, na melhor das hipóteses.

Em reação, Pedro Santana Lopes admitiu que está "muito contente" por ter conseguido "uma vitória extraordinária", mesmo que não conquiste a liderança da autarquia.

"Saúdo os meus adversários e agradeço aos figueirenses, acima de tudo", afirmou.

O próximo presidente da Câmara da Figueira da Foz considerou que este "foi o momento em que me levanto, depois de cair".

"Há esperança e, se as pessoas tiverem força, podem reerguer-se", declarou.

"Contra todas as armadilhas e todas as impugnações, foi um movimento recém formado que ganhou. Uma proeza sem igual", acrescentou.

Santana Lopes apontou ainda algumas críticas ao PSD, dizendo que o comportamento do seu antigo partido, durante a campanha eleitoral na Figueira da Foz, "provaram para muita gente a razão pela qual tomei a opção de sair do PSD."

"Continuo a ter o mesmo respeito pela instituição, mas os factos falam por si", concluiu.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+