Tempo
|
A+ / A-

Convenção do MEL

“A democracia está transformada numa gritaria”, diz Paulo Portas

26 mai, 2021 - 11:14 • Paula Caeiro Varela , Marta Grosso

O antigo líder do CDS foi um dos intervenientes na 3.ª Convenção do MEL nesta quarta-feira. Portas falou sobre os desafios pós-pandemia e deixou recados para o futuro.

A+ / A-

A democracia digital dificulta o bom governo, defende Paulo Portas, que foi à convenção do Movimento Europa e Liberdade (MEL), nesta quarta-feira, para falar sobre os atuais desafios à democracia, criados, sobretudo, pela internet e o mundo das redes sociais.

“As organizações das vanguardas nas redes sociais, no plano estritamente político, levam ao triunfo das opções mais extremas e à rarefação da moderação, porque ninguém tem 'likes' por ser moderado. E ninguém é aplaudido por procurar um compromisso”, afirmou o antigo líder do CDS-PP.

Portas considera que a “democracia representativa como nós a conhecemos” está em perigo.

“Isto não é um fenómeno asiático – a única fronteira virtual do mundo digital é a fronteira da China – não é um fenómeno da Ásia democrática, mas é essencialmente um fenómeno americano e um fenómeno europeu. A democracia está, em certo sentido, transformada numa gritaria, onde não há nem longo prazo nem passado; é tudo um instante, uma indignação e uma emoção, apenas a última antes da próxima”, defendeu.

Paulo Portas, antigo ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, abriu o segundo dia da convenção – um dia em que também subirão ao palco o líder da extrema-direita, André Ventura (Chega) e o presidente do PSD, Rui Rio.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anónimo
    26 mai, 2021 Lisboa 10:41
    E esse senhor alguma vez fez alguma coisa pela democracia? Eu não esqueço.

Destaques V+