Tempo
|
A+ / A-

​25 de abril. Iniciativa Liberal ataca “esquerda sectária”

25 abr, 2021 - 10:49 • Eunice Lourenço

Cotrim Figueiredo levou para o Parlamento polémica sobre o desfile dos 47 anos da Revolução e criticou a falta de oportunidades para quem “não tem o cartão do partido certo”.

A+ / A-

João Cotrim Figueiredo, líder e deputado da Iniciativa Liberal (IL), levou para a sessão solene do 25 de Abril a polémica sobre a participação no desfile comemorativo dos 47 anos da Revolução do 25 d Abril para atacar a “esquerda sectária” que, considera, não dá futuro ao país.

“Queremos celebrar uma data da qual ninguém se pode apropriar”, disse Cotrim Figueiredo, atacando: “A esquerda sectária do alto da sua arrogância moral e intelectual acha que é dona do 25 de abril e a direita ambígua permitiu-o por falta de comparência.” Uma farpa aos outros partidos da direita que não participam tradicionalmente no desfile na avenida da Liberdade, em Lisboa.

Os liberais querem celebrar a Revolução porque pôs fim a uma ditadura que impediu as liberdades políticas, económicas e sociais. Mas também porque acham que essa revolução continua por cumprir. “O 25 de Abril deu-nos a oportunidade de criar um país diferente. 47 anos depois ainda não soubemos aproveitar”, afirmou Cotrim Figueiredo, dirigindo-se sobretudo aos jovens que “sentem o desespero” dos baixos salários e da falta de oportunidades “para quem não tem o cartão do partido certo”.

O deputado liberal também criticou a burocracia e as dificuldades no acesso à saúde, os “milhares de milhões que existem para enterrar na TAP”, mas faltam para direitos básicos. E disse que os portugueses já não acreditam que algo vai mudar quando passar a pandemia ou quando chegar o dinheiro da chamada “bazuca” europeia.

“Há outro caminho e esse caminho é o liberalismo”, afirmou Cotrim Figueiredo, terminando o discurso com nova referência ao desfile da avenida onde, garante, “os liberais vão estar com abertura e com os olhos postos no futuro”.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+