Tempo
|
A+ / A-

Eleições regionais

Iniciativa Liberal quer ganhar com maioria absoluta na Madeira

20 set, 2019 - 17:08 • Olímpia Mairos

Partido concorre pela primeira vez ao Parlamento madeirense.

A+ / A-

O cabeça de lista do Iniciativa Liberal (IL) às eleições regionais da Madeira, Nuno Morna, apelou, esta sexta-feira à reflexão dos madeirenses, para “manter tudo na mesma”, de “mudar para o mesmo” ou de “mudar efetivamente para um projeto alternativo”.

“Chegou o momento da reflexão. E a questão é se querem mais do mesmo, que nos trouxe até aqui, ao longo de 43 anos, ou se querem mudar só as moscas, mudando aparentemente aquilo que são as figuras do regime, mas mantendo as mesma políticas ou a mesma porcaria”, afirmou o candidato às portas do Mercado dos Lavradores, no Funchal.

Nuno Morna criticou ainda a “bipolarização negativa que tentaram incutir nas pessoas, afirmando que o seu voto pode ser importante - ou para manter a situação ou para mudar a situação, mas só estamos a falar de cabeças e de figuras, porque o que eles pensam é exatamente o mesmo”.

“O que pensam, tanto o partido socialista como o partido social democrata, é precisamente o mesmo, porque são ambos socialistas”, disse.

O candidato do IL apelou, por isso, aos madeirenses para que não deixem de ir às urnas e desafiou os eleitores a escolher “uma verdadeira alternativa à atual governação”.

“Façam o sacrifício de ir votar, nem que seja para poderem dizer ‘ganharam aqueles, mas eu não votei neles’”, declarou.

Questionado pela Renascença sobre que resultado espera no domingo, Nuno Morna afirmou que“o objetivo é vencer por maioria absoluta”.

“Qualquer partido que concorre a umas eleições é para as ganhar por maioria absoluta. Se não as ganharmos, que seja por maioria relativa. Se não for por maioria relativa, que possamos, no mínimo, eleger um deputado”, afirmou à Renascença Nuno Morna.

O IL concorre pela primeira vez a eleições legislativas na Madeira.

As eleições regionais legislativas da Madeira decorrem no domingo, com 16 partidos e uma coligação a disputar os 47 lugares no parlamento regional.

Nas regionais de 2015, os social-democratas seguraram a maioria absoluta - com que sempre governaram a Madeira - por um deputado, com 24 dos 47 parlamentares.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+