Tempo
|
A+ / A-

Ministro da Economia

Greve dos motoristas. "Não está nos planos do Governo" rever a lei da greve

31 jul, 2019 - 17:51 • Agência Lusa

Afirmando que não propôs “nenhuma revisão da lei da greve”, Pedro Siza Vieira disse que equacionar fazê-lo é uma “questão que deve ser colocada a outrem”.

A+ / A-

O ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, afirmou esta quarta-feira que não propôs fazer nenhuma revisão da lei da greve e garantiu também que não está nos planos do Governo fazer uma revisão legislativa.

“O que disse é que quem tem de equacionar se se justifica ou não uma revisão da lei da greve não sou eu. Seguramente isso não está nos planos do Governo”, sublinhou o ministro quando questionado sobre as reações a declarações suas numa entrevista à RTP, na segunda-feira.

Afirmando que não propôs “nenhuma revisão da lei da greve”, Pedro Siza Vieira precisou que equacionar fazê-lo é uma “questão que deve ser colocada a outrem”.

O ministro falava aos jornalistas à margem da sessão de apresentação do balanço do Livro de Reclamações, eletrónico e físico, e da nova aplicação que permite fazer a reclamação através do telemóvel.

Na entrevista à RTP, o ministro da Economia afirmou que “é uma questão que tem de ser equacionada do ponto de vista político e os protagonistas políticos vários têm de ponderar, verificar a conveniência a necessidade de rever a lei da greve nessa matéria”.

Afirmou ainda que a lei é dos anos 1970 “e faz sentido pensar se devemos mantê-la ou não, mas sobretudo para afirmar isto: tenho a convenção muito clara que tempos de melhorar regulação das situações de trabalho”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    31 jul, 2019 Lisboa 19:52
    Mais um que acha que não há internet e que o que dizem, não fica gravado e as pessoas não vão ver. Lembra o Pedro Passos Coelho ainda antes de ser governo, quando apareceu com aquela revisão Constitucional fachistóide, revisão essa que desapareceu numa gaveta para não mais ver a luz do dia, quando o PSD caiu a pique nas sondagens, mal foi conhecida.

Destaques V+