Tempo
|
A+ / A-

Costa reage a Rio. "Votaremos contra este projeto no plenário"

05 mai, 2019 - 21:02 • ​​Marília Freitas​

António Costa criticou a posição do PSD e do CDS-PP em relação ao diploma dos professores, desafiando os dois partidos a votarem contra a proposta em plenário.

A+ / A-

António Costa garantiu que o PS vai votar contra o projeto de lei que prevê a reposição integral do tempo de serviço dos professores. "Não deixaremos que o diploma seja aprovado", afirmou o primeiro-ministro e líder do PS, que considera que "este é um momento particularmente grave".

"Não vendemos ilusões aos professores, não prometemos o que sabemos que não podemos cumprir nem hoje nem amanhã e não mentimos aos portugueses", disse António Costa durante uma ação de pré-campanha para as eleições europeias, em Portalegre.

"Aquilo que temos que garantir é não só que aquilo que damos a uns, damos aos outros, mas também que é sustentável", acrescentou.

Para António Costa, se PSD e CDS-PP, entretanto, se “arrependeram” do que votaram, “têm bom remédio”, alterando a sua posição no sentido de não viabilizar a proposta que “põe em causa” as finanças públicas e a credibilidade internacional do país.

“Agora não queiram enganar nem os portugueses, nem os professores, porque virem agora falar de travões e condicionantes é confessarem aquilo que verdadeiramente era o seu projeto, uma mão cheia de nada para os professores e uma enorme conta calada para todos os portugueses terem de pagar”, disse.

“Connosco não contam para conquistar votos a qualquer preço”, disse ainda António Costa, que lembrou a estabilidade política dos últimos quatro anos. "Acabámos com o mito de que não era possível governar à esquerda com contas certas".

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Petervlg
    06 mai, 2019 Trofa 13:23
    são políticos, é por causa destas situações que Portugal não sai do "buraco", políticos que só olham para o que lhes interessa o Pais ficou como ficou, pelo roubo do PS, a todos os Portugueses e continuamos na mesma senda… Toda a gente diz brilhante, Antonio Costa, não é brilhante, é politico ou seja mentiroso...
  • Cidadao
    06 mai, 2019 Lisboa 13:03
    Sobre António Costa só há uma coisa a dizer: BRILHANTE! É o mestre da tatica política. Não falando que chegou a 1.º Ministro depois de uma derrota eleitoral que marca o inicio da sua governação, agora no final da Legislatura, com um único golpe, consegue dar um "salto-mortal" por cima da geringonça sem dar o braço a torcer nem à Esquerda nem à Direita, e no mesmo golpe, atira com PSD e CDS para a retaguarda do pelotão, atarantados e sem saber o que aconteceu, a desdobrarem-se em desculpas e questões de semantica para desastradamente justificarem os seus recuos, enfim, completamente aos papeis Rui Rio e sobretudo Assunção Cristas. Logo agora que o governo ia apanhar com uma lista de promessas não cumpridas, rendimentos não devolvidos, uma carga fiscal que faz o Gaspar parecer um menino do coro, a famelga a ocupar lugares no Governo/Administração Central/Autarquias, uma campanha para as Europeias que parece planificada pelo Willie Coyote ... Tudo isso se eclipsou graças à maestria deste grande golpe da dupla Costa-Centeno que pos tudo a falar nos professores esquecendo o resto, e onde até o grande Marcelo prefere priudentemente ir a banhos para não ser chamado a opinar. Isto é definitivamente um case study da politica. Agora, é ético? É moral, depois de criar expetativas e fazer promessas - estão lá, é só ir a internet e ver - usar taticismos e jogos de semantica para dar o dito por não dito? Em 6 de Outubro, pelo menos, teremos a resposta.

Destaques V+