Tempo
|
A+ / A-

Marcelo inicia mandato com visita a bairro carenciado do Porto

04 mar, 2016 - 17:33

Programa oficial das cerimónias de tomada de posse de Marcelo Rebelo de Sousa como Presidente da República já é conhecido.

A+ / A-

Marcelo Rebelo de Sousa toma posse como Presidente da República na próxima semana e uma das primeiras visitas será ao Cerco, um bairro carenciado do Porto.

De acordo com o programa oficial das cerimónias de tomada de posse, Marcelo Rebelo de Sousa desloca-se ao Porto na sexta-feira, 11 de Março.

Será recebido durante a manhã nos Paços do Concelho e almoça na Casa do Roseiral. Depois, desloca-se a pé até à galeria municipal Almeida Garrett, onde vai homenagear Paulo Cunha e Silva, o vereador da Cultura da Câmara do Porto que morreu no final do ano passado.

Da parte da tarde, pelas 15h30, o novo Presidente da República visita o Cerco. Neste bairro carenciado da cidade vai encontrar-se com jovens e idosos.

Está previsto um percurso a pé até ao largo dos Afectos, onde terá lugar uma exibição do OUPA, um projecto de hip hop de jovens no bairro, e uma visita ao centro de dia.

A visita ao Porto tem lugar no último de três dias das cerimónias da tomada de posse, que tem lugar na próxima quarta-feira, 9 de Março.

Nesse dia, Marcelo Rebelo de Sousa presta juramento sobre a Constituição da República Portuguesa e discursa na Assembleia da República.

O novo chefe de Estado dirige-se depois para o Mosteiro dos Jerónimos, onde vai depositar coroas de flores nos túmulos de Luís Vaz de Camões e Vasco da Gama.

Da parte da tarde, participa numa celebração inter-religiosa na Mesquita de Lisboa, com representantes de 18 confissões religiosas, e condecora Cavaco Silva com o Grande Colar da Ordem da Liberdade.

À noite, Marcelo Rebelo de Sousa desloca-se aos Paços do Concelho para um concerto que vai assinalar o início do seu mandato, com José Cid e Anselmo Ralph, entre outros.

Na quinta-feira, 10 de Março, tem encontro marcado com o corpo diplomático, no Palácio Nacional da Ajuda.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Miguel Botelho
    11 mar, 2016 Lisboa 23:09
    Atenção, Portugal! Chegou o presidente-palhaço, rei do circo e do pagode. «One Man Show» do folclore nacional. Ele beija as criancinhas e faz chorar as velhinhas. Aproximem-se! Ele não faz mal. Não morde as criancinhas. Ele é lindo! Ele não é ruim como o outro. Há apenas um senão... Ele só é assim para a televisão e as fotografias.
  • Antonio Risinhos
    07 mar, 2016 Palacio - Lisboa 13:56
    Melhor seria visitar aqueles que trabalham como galegos e mal ganham para comer e não gente que vive sem nada fazer , casa de graça , luz de graça, comida de graça , medico de graça , medicamentos de graça , roupa de graça , á custa dos tais que mal ganham para comer.
  • Pinto
    04 mar, 2016 Custoias 21:58
    É nesses bairros que o RSI tem a maior fatia. A criminalidade e vandalismo tem em bairros sociais a concentração desses problemas. Dentro desses bairros 80% dos casais, nunca casaram para terem direito a ajudas e RSI. O governo, através de gente competente, tem de dar formação aos jovens, deixá-los andar na escola sabendo que não dão nada até aos aos 18 anos é condená-los aos vícios e à criminalidade.
  • fanã
    04 mar, 2016 aveiro 19:32
    POIS, POIS, POIS, ...........................................CLARO !
  • manuel silva
    04 mar, 2016 porto 18:10
    o CORTA FITAS AFINAL NÃO MORREU,

Destaques V+