Tempo
|
A+ / A-

E se fosse a esquerda a formar Governo? PSD/CDS fala em "obscenidade política"

04 out, 2015 - 22:11

Oposição considera que cenário de vitória da coligação sem maioria absoluta abre caminho à saída de Passos Coelho e Paulo Portas do poder.

A+ / A-

A coligação PSD/CDS ganhou as eleições, pode perder a maioria, mas defende que deve governar. Na oposição ouvem-se vozes a defender que Passos e Portas não têm condições para governar.

“Quem ganha as eleições deve governar e nós estamos preparados”, afirmou Assunção Cristas, dirigente do CDS e ministra da Agricultura e Mar.

O ministro da Economia foi questionado sobre a possibilidade de o Presidente da República convidar os partidos de esquerda para formar Governo. Pires de Lima respondeu: “Já não se trata de uma fraude política, a confirmarem-se estes resultados estaríamos perante uma obscenidade política se fosse António Costa a liderar um Governo, próprio derrotado no PS”.

As projecções de resultados das legislativas apontam para "uma grande vitória" da coligação PSD/CDS-PP, disse o vice-presidente do PSD. Marco António Costa disse esperar que esta possa formar "um Governo estável".

O vice-presidente do CDS-PP Nuno Melo defendeu que as projecções apontam para que a coligação tenha uma "legitimidade acrescida" e que o PS não tenha perdido "por poucochinho", mas com uma "derrota clara".

Perante os resultados, o vice-presidente do CDS Diogo Feio diz àRenascença que a vitória é "muito clara" e que a "coligação está em perfeitas condições para gerar um governo para Portugal".

Coligação "em condições de gerar um governo para Portugal", diz Diogo Feio
Coligação "em condições de gerar um governo para Portugal", diz Diogo Feio

Na primeira reacção oficial do PS, o director de campanha Duarte Cordeiro disse admitiu que os socialistas falharam o objectivo de ganhar as eleições, mas a coligação também falhou. "Acreditamos que não há maioria parlamentar para nenhuma das candidaturas nestas eleições. A coligação PSD/CDS perdeu a maioria que tinha, ficando agora em minoria", disse Duarte Cordeiro.

A porta-voz do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, afirma que a coligação PSD/CDS não terá condições para governar sem uma maioria absoluta. "Não será pelo Bloco que a maioria consegue formar Governo", frisou.

O líder da bancada parlamentar do Bloco de Esquerda está em sintonia com Catarina Martins. "Sabemos que há ainda a possibilidade de PSD/CDS terem maioria absoluta. Para nós era importante que isso não acontecesse. Porque perdendo a maioria absoluta, perdem também o Governo", defendeu Pedro Filipe Soares.

Paulo Raimundo, membro da comissão política do comité central do PCP, também afirma que sem maioria absoluta, Passos e Portas ficam sem condições para comandar o país. "Eles ficam com menos espaço para continuarem, sem maioria absoluta. Sozinhos não têm condições para o fazer e é preciso alguém para o fazer. É preciso alguém que lhe dê esse auxílio e, da nossa parte, não o terão. Não podem fazê-lo sozinhos e, portanto, dificulta-os", afirmou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+