A+ / A-

Dia Mundial do Dador de Sangue

Federação do sangue insiste no direito à dispensa ao trabalho no dia da dádiva

11 jun, 2024 - 09:15 • Lusa

O direito à dispensa ao trabalho no dia em que realizam a dádiva foi retirada em 2011, durante a presença da "troika" em Portugal.

A+ / A-

A Federação Portuguesa de Dadores Benévolos de Sangue (FEPODABES) voltou a pedir, esta terça-feira, que os dadores voltem a ter o direito à dispensa laboral no dia que realizam a dádiva e a regulamentação do Estatuto do Dador de Sangue.

Em comunicado, para assinalar o Dia Mundial do Dador de Sangue que se comemora na sexta-feira com o lema "Muito obrigado Dadores de Sangue", a FEPODABES volta a reivindicar o direito à dispensa ao trabalho no dia em que realizam a dádiva, possibilidade, referem, que lhes foi retirada em 2011 durante a presença da "troika" em Portugal.

O presidente da FEPODABES, Alberto Mota, citado na nota, indica que a Assembleia da República aprovou em 2012 o Estatuto do Dador de Sangue, mas "manteve essa lacuna, deixando por resolver uma das questões que tem impacto direto no número de dadores diariamente".

Alberto Mota apelou também à "regulamentação do Estatuto do Dador de Sangue, aprovado em 2012, que não avançou.

Na nota, o presidente da FEPODABES alertou mais uma vez "para a falta de profissionais de saúde nomeadamente nos três Centros de Sangue do Instituto Português do Sangue e da Transplantação, falta essa que nos últimos tempos tem sido a causa maior dos cancelamentos de brigadas de colheitas de sangue no exterior dos três centros".

No âmbito do Dia Mundial do Dador de Sangue, Alberto Mota agradeceu aos dadores, apelando a que mais pessoas doem sangue.

"Todos os dias são necessárias cerca de 1.000 a 1.100 unidade de sangue para fazer face ao consumo dos hospitais, lembrou Alberto Mota, realçando que o sangue é essencial para tratamentos e intervenções urgentes e pode ajudar pacientes que sofrem de condições com risco de vida, além de apoiar procedimentos médicos e cirúrgicos complexos. .

"O sangue também é vital para o tratamento de feridos durante emergências de todos os tipos (desastres naturais, acidentes, conflitos armados etc.) e tem um papel essencial nos cuidados maternos e neonatais", segundo a Federação.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+