A+ / A-

Educação

Confap faz balanço “preocupante” do ano letivo antes das férias da Páscoa

22 mar, 2024 - 07:40 • André Rodrigues

Falta de professores e crise tecnológica nas escolas são as principais preocupações de Mariana Carvalho, que desafia o próximo Governo a apostar na valorização da carreira docente.

A+ / A-

A falta de professores e a crise tecnológica nas escolas, com milhares de computadores avariados, são as principais preocupações da presidente da Confederação das Associações de Pais (Confap).

Em declarações à Renascença, no último dia de aulas antes da pausa letiva da Páscoa, Mariana Carvalho lembra que "milhares de alunos continuam sem professor a muitas disciplinas" e que o problema é ainda mais grave "nos casos em que vai haver avaliações e exames".

A preocupação é redobrada num quadro de indefinição quanto à realização de avaliações em modo digital e numa altura em que os professores de Informática anunciam uma greve, com milhares de computadores avariados nas escolas.

Por tudo isto, a presidente da Confap faz um balanço "preocupante" do ano letivo até agora decorrido.

Quando o terceiro período de aulas começar, a 8 de abril, o novo Governo liderado por Luís Montenegro já estará em funções e, com ele, um novo responsável pela Educação que, na opinião da presidente da Confap, deve dar prioridade à valorização dos professores.

"Se é com o descongelamento do tempo de serviço, ou com outra medida qualquer, eu não sei. Mas temos de repensar a estabilidade dos professores, para que se sintam felizes, na escola, na carreira e no seu ambiente profissional", sublinha.

Por outro lado, Mariana Carvalho diz ser "muito importante olharmos para a questão dos assistentes operacionais" que, para além de serem em número reduzido, não têm o reconhecimento que as associações de pais consideram ser justo.

"Já tínhamos feito propostas ao Governo ainda em funções, mas não obtivemos resposta", remata a presidente da Confap.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+