Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

FAP quer Secretaria de Estado exclusiva para a Juventude

05 mar, 2024 - 08:48 • Redação

Federação Academica do Porto escreve carta aberta aos partidos.

A+ / A-

A Federação Académica do Porto (FAP) pede aos partidos políticos um “compromisso sério com a juventude”.

Numa carta enviada aos partidos com assento parlamentar, a FAP lembra a falta de poder de compra dos jovens, a saída tardia de casa dos pais e a crescente emigração daquela que é a “Geração Trinta, a primeira geração a viver pior do que a anterior”.

O presidente da FAP, Francisco Porto Fernandes, as “estatísticas refletem uma realidade preocupante, que indica que o país não proporciona um ambiente favorável para o crescimento e prosperidade da juventude em Portugal”.

O presidente apela ao futuro Governo que crie uma Secretaria de Estado autónoma para a juventude sob a tutela do primeiro-ministro, diferente do que acontece no Governo que agora cessa funções, onde a tutela da juventude se encontra integrada no Ministério dos Assuntos Parlamentares, na Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto.

“É fundamental inserir a tutela da juventude num contexto que permita uma visão holística da juventude para o país. Além disso, é crucial que o responsável político pela juventude detenha peso político suficiente para implementar as reformas necessárias, tão esperadas pelos jovens portugueses”, explica, no documento, Francisco Porto Fernandes.

Assim, o presidente da Federação Académica do Porto considera ser “imperativo que a juventude se torne um desígnio nacional e que o próximo Governo assuma a responsabilidade de criar condições propícias para que os jovens possam construir os seus projetos de vida em Portugal”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+