A+ / A-

Fundação Inatel vai lançar hotel para acolher refugiados e exilados

22 fev, 2024 - 11:20 • Redação

O hotel em Santa Maria da Feira foi cedido à Fundação Inatel na condição de ter componente de serviço social.

A+ / A-

A Fundação Inatel lançou um projeto para um hotel em Santa Maria da Feira que pretende acolher refugiados e outras pessoas em situação de reclusão social.

O edifício, que era propriedade do Instituto de Gestão do Fundo da Segurança Social, foi cedido à Fundação Inatel na condição de ter componente de serviço social.

O projeto tem como objetivo principal hospedar e empregar pessoas que fizeram pedidos de asilo, refugiados em transição para processos de habitação e inclusão, ou vítimas de catástrofes que estejam temporariamente desalojadas.

Para além de funcionar como um espaço de acolhimento, o espaço terá uma componente de hotelaria normal, disponível a qualquer pessoa, no sentido de acolher todo o tipo de públicos, nomeadamente artistas que estejam em processos de desenvolver residências artísticas.

O presidente da Fundação Inatel, Francisco Madelino, diz à Renascença que o objetivo é empregar "pessoas e trabalhadores com competências e aptidões na aérea da hotelaria, mas que funcionam também com apoios a empregos com pessoas que estão nesses processos de inclusão".

"Este tipo de hotéis têm várias experiências no mundo, que têm pessoas que gostam de fazer hotelaria e que têm também alguma intervenção de conhecer pessoas diferentes e de militância social. O nosso projeto é também recuperar o hotel numa grande lógica de sustentabilidade, ou seja, utilizando arquitetura e formas de recuperação de materiais e processos que não tenham impacto maior sobre a pegada ecológica e também neste âmbito ser um processo exemplar", diz Francisco Madelino.

Foi pensada, também, a utilização de um piso "para organizações e entidades que estão ligadas a projetos socias, não apenas de apoio aos refugiados, mas também contra a violência doméstica, etc".

Em adição ao apoio da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, a Fundação Inatel conta com apoios provenientes de políticas europeias: "Estamos a concorrer a projetos europeus e também nacionais comunitários que têm vindo a ser promovidos, e que favorecem e apoiam estas iniciativas de inovação social, já que a recuperação da unidade hoteleira tem necessidade de um investimento físico significativo, na ordem de três milhões de euros".

A Fundação Inatel, que fará, este ano, 89 anos, desenvolve trabalho de acolhimento de refugiados desde 1935, o seu ano de criação, para além de "atividades de valorização dos tempos livres nas áreas do turismo social, da cultura popular e do desporto amador, com profundas preocupações de humanismo e elevados padrões de qualidade", lê-se no website.

Prevê-se que a requalificação do edifício e a planificação do projeto estejam prontos em 2026.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Sebastian
    24 fev, 2024 Castelo Branco 12:31
    Perguntem ao Sr. Presidente da Fundação INATEL qual a percentagem de trabalhadores nos hotéis a ganhar o ordenado mínimo... Perguntem ao Sr. presidente da Fundação INATEL o que tem feito para motivar os trabalhadores com formação, alguns deles até licenciados, que trabalham há mais de 10 anos nos hotéis... Porque é que o aumento dos ordenados vêm 2 meses antes do aumento dos ordenados mínimos? Perguntem a Sr. Presidente da Fundação INATEL!

Destaques V+