A+ / A-

ANMP quer reunião com Tribunal de Contas sobre transferência de competências

23 jan, 2024 - 18:58 • Lusa

Documento vai "ao encontro do entendimento" da associação, ao considerar que "a transferência de competências para os municípios representa um importante processo de reorganização do Estado".

A+ / A-

A Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) anunciou nesta terça-feira que vai pedir ao Tribunal de Contas (TdC) uma audiência para analisarem em conjunto o relatório sobre o processo de transferência de competências para as autarquias.

Aos jornalistas, no final de uma reunião do conselho diretivo da ANMP, o vice-presidente do órgão José Ribau Esteves recordou que se verifica "um défice de financiamento", designadamente na área da educação.

O encontro com o TdC "é também útil" com vista a "um aprofundamento da matéria" em causa, adiantou o também presidente da Câmara Municipal de Aveiro, eleito pelo PSD, que substituiu a presidente da ANMP, a socialista Luísa Salgueiro, nas declarações aos órgãos de comunicação, no final da reunião do conselho diretivo, na sede da associação, em Coimbra.

ANMP apoia transferência de competências

No dia 4 de janeiro, a ANMP já tinha tomado posição face ao relatório do Tribunal de Contas "relativo ao processo de transferência de competências", considerando que o documento vai "ao encontro do entendimento desta associação, ao considerar que "a transferência de competências para os municípios representa um importante processo de reorganização do Estado".

Nesta terça-feira, Ribau Esteves reiterou a opinião da ANMP sobre o processo: "não tem sido isento de constrangimentos devido, essencialmente, aos avultados recursos humanos, financeiros e patrimoniais envolvidos, mas também à multiplicidade de áreas abrangidas".

"Seja pela complexidade do processo, seja por força da pandemia por covid-19, seja pela necessidade de renegociação nas áreas da educação, saúde e ação social, os prazos inicialmente estabelecidos para a implementação deste processo, efetivamente, acabaram por se prolongar no tempo, mas, num processo com esta complexidade, o trabalho realizado é sempre o mais importante", sublinhou a ANMP em comunicado, há três semanas.

A reunião do conselho diretivo, cujos trabalhos foram dirigidos por Teresa Salgueiro, presidente da Câmara de Matosinhos, incluiu um debate do projeto de resolução do Conselho de Ministros relativo ao lançamento dos procedimentos de atribuição das concessões municipais de distribuição de energia elétrica em baixa tensão e ainda sobre o programa de incentivo ao transporte público coletivo de passageiros (Incentiva + TP).

Ainda há dúvidas quanto aos transportes

Ribau Esteves admitiu que, na área do transporte público de passageiros, subsistem "muitas dúvidas sobre a sustentabilidade financeira" do modelo adotado pelo Governo, além de que os municípios ainda "não têm a informação necessária" a uma equilibrada execução do programa, designadamente ao nível dos passes para jovens estudantes, por exemplo.

"Há uma emergência, que é percebermos todos como isto funciona", acentuou o vice-presidente da ANMP, alegando que "têm chegado muitas dúvidas dos municípios e das comunidades intermunicipais".

Sobre o lançamento dos procedimentos de atribuição das concessões locais de distribuição de energia em baixa tensão, Ribau Esteves reconheceu que o modelo proposto pelo Governo corresponde "àquilo que a ANMP sempre defendeu".

A associação, acrescentou, expressa a sua "disponibilidade para coordenar" o processo, devendo o concurso público ser lançado até final deste ano.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+