A+ / A-

Avião divergiu para Faro devido a desacatos. Um passageiro foi detido

19 jan, 2024 - 19:51 • Lusa

Voo entre o Reino Unido e as Canárias com escala forçada em Portugal.

A+ / A-

Um passageiro de um voo que fazia a ligação entre o Reino Unido e as Canárias foi detido esta sexta-feira no aeroporto de Faro, para onde a aeronave divergiu, devido desacatos dentro do avião, revelou a PSP.

Em comunicado, a PSP refere que, pelas 11h30, foi chamada a intervir no interior de uma aeronave, "que fazia viagem entre Luton e Lanzarote", e divergiu para o aeroporto de Faro, no Algarve, "devido à presença de oito passageiros desordeiros".

Já no interior do avião, os agentes da polícia, "em contacto com os membros da tripulação", apuraram que oito passageiros estavam "a causar desacatos, designadamente a gritar e a bater, de forma repetitiva, nas portas dos maleiros de bagagem de cabine, bem como a ingerir bebidas alcoólicas, ignorando as instruções transmitidas pela tripulação do voo".

"Após indicação do comandante da aeronave para retirada dos passageiros desordeiros, a PSP contactou-os e ordenou a sua saída, explicando-lhes os motivos pelos quais teriam de abandonar a aeronave. Na sequência da ordem dada, sete destes passageiros saíram sem resistência", lê-se na nota do Comando Distrital da PSP de Faro.

Contudo, acrescenta a PSP, um dos passageiros "adotou uma conduta hostil e agressiva, recusando-se a sair, desobedecendo reiteradamente às ordens que lhe foram dirigidas".

Desta forma, os polícias foram forçados a detê-lo e a retirá-lo da aeronave "com recurso ao uso de força física dada a constante resistência oferecida".

O passageiro foi detido pelos crimes de desobediência, resistência e coação sobre funcionário, tendo sido notificado para comparecer em tribunal, indica ainda a PSP.

De acordo com vários meios de comunicação ingleses, o voo era operado pela Ryanair.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+