A+ / A-

Trabalhadores da EDP em greve no dia 24 por aumentos salariais

15 jan, 2024 - 16:51 • Lusa

Trabalhadores acusam a empresa de ter dividido, pelos acionistas, os lucros dos últimos anos e de os ter deixado de fora.

A+ / A-

Os trabalhadores da EDP vão estar em greve no dia 24 de janeiro, convocada pela Fiequimetal, por aumentos salariais, estando também prevista uma concentração nacional junto à sede da empresa, em Lisboa, foi nesta segunda-feira anunciado.

"Em unidade e como reflexo do descontentamento crescente dos trabalhadores, está marcada para 24 de janeiro uma concentração nacional, em Lisboa (junto da sede da EDP, na Avenida 24 de Julho), e uma greve de 24 horas, em todas as empresas do grupo, pela correção de injustiças e pela valorização da experiência profissional", anunciou a Federação Intersindical das Indústrias Metalúrgicas, Químicas, Elétricas, Farmacêutica, Celulose, Papel, Gráfica, Imprensa, Energia e Minas - CGTP-IN (Fiequimetal), em comunicado.

EDP distribuiu lucros pelos acionistas, excluindo trabalhadores

Os trabalhadores exigem subidas nas bases remuneratórias e generalização da remuneração por antiguidade, as chamadas diuturnidades, e destacam os lucros de 956 milhões de euros registados pela empresa nos primeiros nove meses de 2023 (mais 83% do que no mesmo período de 2022).

"Em 2021 e 2022, os lucros superaram 1.100 milhões de euros, por ano, e os acionistas decidiram arrecadar para si próprios, em dividendos, mais de 1.500 milhões de euros. Para este ano preparam-se para mais um belo repasto, neste caso de 795 milhões de euros. E os trabalhadores, dos mais jovens aos mais velhos, como ficam no meio de tudo isto?", refere a mesma nota.

A federação sindical realçou que o descontentamento dos trabalhadores, que se sentem desvalorizados, tem sido notório "na boa adesão à greve às horas extraordinárias", desde 1 de dezembro, que tem tido "impactos concretos na reposição de avarias e em trabalhos programados".


Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+