A+ / A-

Nuno Jacinto é novo diretor clínico da ULS do Alentejo Central

11 jan, 2024 - 15:25 • Teresa Paula Costa com Lusa

Presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar aceitou convite da Direção Executiva do SNS.

A+ / A-

Nuno Jacinto, presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), será o novo diretor clínico para os Cuidados de Saúde Primários da Unidade Local de Saúde do Alentejo Central (Évora).

O médico de Clínica Geral e Medicina Familiar aceitou o convite que partiu da direção executiva do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Licenciado em Medicina pela Faculdade Medicina de Lisboa e pós-graduado em Administração de Unidades de Saúde pela Universidade de Évora, Nuno Jacinto foi presidente do conselho clínico e de saúde do Agrupamento de Centros de Saúde (ACeS) Alentejo Central entre setembro de 2020 e julho de 2021.

Salvaguardando que não é contra o novo modelo de organização do SNS em ULS, Nuno Jacinto mostrou-se sempre defensor de um modelo com um equilíbrio entre os cuidados hospitalares e os cuidados de saúde primários.

"Devem ser criados mecanismos que permitem dar aos cuidados de saúde privados o peso que lhes é devido", disse, em maio, Nuno Jacinto, em entrevista ao jornal especializado SaúdeOnline.

A nova ULS Alentejo Central junta o Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) e o ACeS do Alentejo Central.

Vítor Fialho, o presidente do hospital, permanece como presidente da Unidade Local de Saúde do Alentejo Central.

Sendo uma entidade pública empresarial e com sede no Largo do Sr. Da Pobreza, em Évora, a ULS do Alentejo Central vem juntar-se às unidades do Norte Alentejano, Baixo Alentejo e Litoral Alentejano, o que garante, deste modo, a cobertura total da região do Alentejo com Unidades Locais de Saúde.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+