A+ / A-

Forças de segurança

Ministro diz estar a trabalhar para melhorar vida das polícias

11 jan, 2024 - 16:34 • Fátima Casanova

José Luís Carneiro falava no Barreiro, à margem da inauguração de três habitações para as polícias, com rendas reduzidas.

A+ / A-
José Luís Carneiro sobre condições dos polícias
José Luís Carneiro promete continuar a trabalhar para melhorar a condição de vida dos agentes Foto: Lusa

O ministro da Administração Interna garantiu esta quinta-feira que está a trabalhar para que os agentes de segurança tenham melhores condições de vida. José Luís Carneiro falava no Barreiro, à margem da inauguração de três habitações para as polícias - um dos exemplos que deu para mostrar o trabalho que tem estado a desenvolver.

“Aqui no caso do Barreiro, pelo que podemos ouvir do senhor vice- presidente da câmara, uma renda custa, em termos médios, 900 a 1000 euros para um edifício desta natureza”, explicou José Luís Carneiro. Nas habitações agora inauguradas, as rendas andarão na ordem dos 300 a 400 euros, “o que significa um ganho de rendimento para estes polícias e guardas”.

OuvirPausa
“Quer na GNR quer na PSP avariam-se viaturas"

Numa altura em que a PSP mantém o protesto junto do Parlamento, denunciando, entre outras coisas, o mau estado das viaturas de serviço, o ministro da Administração Interna desvalorizou a situação, admitindo que é normal os carros terem avarias, uma situação que aconteceu ao automóvel em que se costuma deslocar.

“Quer na GNR quer na PSP avariam-se viaturas. Dou-lhes um exemplo, o próprio carro onde eu andava - e hoje viram-me chegar num outro -, também ele próprio teve de ir para a oficina, porque também avariou. Ou seja, isto faz parte do dia a dia das forças de segurança”, argumentou o ministro.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ze
    11 jan, 2024 aldeia 18:34
    Se em 8 anos e com maioria absoluta.nunca fez nada, ía fazer agora?

Destaques V+