A+ / A-

​Fenprof

Um quarto das escolas com falta de professores

03 jan, 2024 - 17:37 • Fátima Casanova

Dados resultam de um inquérito feito pela Fenprof a mais de 200 agrupamentos escolares, no 1º período. Já o movimento Missão Escola Pública diz que, pelo menos, 35 mil alunos regressaram agora às aulas sem docentes a todas as disciplinas.

A+ / A-

Um quarto das escolas não conseguiu garantir professores a todas as disciplinas no 1.º período do ano letivo, avançou esta quarta-feira o secretário-geral da Federação Nacional dos Professores (Fenprof).

Mário Nogueira, que esta tarde esteve a apresentar os dados de um inquérito feito aos agrupamentos escolares, traça o retrato da falta de professores.

“Quase um quarto das escolas responderam que não conseguiram completar o corpo docente entre setembro e dezembro e foram menos de metade (41,3%) as escolas que conseguiram completar o corpo docente durante o mês de setembro”, disse o líder da Fenprof.

Estes dados resultam de um inquérito feito pela Fenprof a mais de 200 agrupamentos escolares.

A falta de professores é uma preocupação também para o movimento Missão Escola Pública.

Segundo Cristina Mota, pelo menos 35 mil alunos regressaram agora às aulas sem docentes a todas as disciplinas.

“Nós tínhamos no último dia de aulas do 1.º período uma estimativa de cerca de 35 mil alunos que não tinham professor. Tendo em conta que a plataforma que diz respeito às ofertas de escola encerrou durante a pausa letiva e que também não teve lugar a reserva de recrutamento, o mesmo número de alunos vai iniciar o 2.º período sem professor”, sublinha Cristina Mota, da Missão Escola Pública.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+