Tempo
|
A+ / A-

Centros de saúde vão funcionar em horário alargado na passagem de ano

29 dez, 2023 - 13:55 • Alexandre Abrantes Neves

O ministro da Saúde espera que a medida ajude a aliviar a pressão nas urgências. Já sobre o aumento da mortalidade na semana do Natal, Pizarro pede prudência e calma na análise dos dados. Confira a lista de centros de saúde que vão estar abertos durante o fim de ano e início de 2024.

A+ / A-

Os centros de saúde vão funcionar em horário alargado a partir de sábado e até terça-feira, à semelhança do que já aconteceu durante o período do Natal. O anúncio foi feito ao final da manhã desta sexta-feira pelo ministro da Saúde, Manuel Pizarro, à margem do centenário do Instituto Português de Oncologia (IPO) em Lisboa.

Manuel Pizarro espera que a medida ajude a aliviar a pressão no hospital durante a passagem de ano, tal como no fim de semana de Natal “muitos casos ficaram resolvidos nos centros de saúde”.

“Vamos anunciar, hoje mesmo, o programa de abertura de centros de saúde em horário acrescido. Em circunstâncias como estas, as pessoas devem seguir as regras e contactar a emergência médica ou a linha SNS24. Cerca de metade das pessoas que vão às urgências são avaliados com pulseira verde ou azul, indiciando que poderiam ter sido dirigidos para um centro de saúde”, realçou o ministro.

Questionado pelos jornalistas se pretende alargar a medida para o resto do ano, o ministro explicou que já existem “muitos centros de saúde abertos todos os dias da semana e a funcionar para lá do seu horário normal, até às 20:00, 22:00 ou mesmo até às 24:00.

Noutro plano, e sobre o aumento da mortalidade ao longo da última semana, Manuel Pizarro pediu “prudência” na análise dos números.

“Nas curvas de mortalidade, não podemos analisar dias isolados. Em comparação com os anos anteriores, temos uma mortalidade bastante inferior nos meses de outubro e novembro. Portanto, tudo isto tem de ser visto em conjunto e é, naturalmente, mais um elemento de preocupação”.

Apesar de considerar “prematuro” retirar conclusões sobre os dados, o ministro da Saúde pede à população que se continue a vacinar, para evitar picos de mortalidade.

“Aqueles portugueses que têm indicação para se vacinarem e que ainda não o fizeram, ainda vão a tempo de se dirigirem ao centro de saúde ou à farmácia para se vacinarem. É a melhor medida que podemos tomar não exatamente para prevenir o risco de ter gripe, mas para prevenir a gravidade da gripe”, rematou.

Confira a lista de centros de saúde que vão estar abertos durante o fim de ano e início de 2024:

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ze
    29 dez, 2023 aldeia 15:05
    Um "ministro da saúde" que apenas coloca pensos rápidos numa ferida profunda que é a saúde .Uma tristeza de politicas socialistas......

Destaques V+