Tempo
|
A+ / A-

Crise política em Portugal não afeta compromisso sobre alta velocidade, diz presidente da Junta da Galiza

19 dez, 2023 - 11:52 • Hugo Monteiro

Num encontro com empresários, em Vila Nova de Gaia, Alfonso Rueba sublinhou mesmo que "sem interrupções, o ano de 2030 parece uma data razoável" para ter o projeto concluído.

A+ / A-

O presidente da Junta da Galiza lembra que, apesar das mudanças políticas em Portugal e Espanha, o compromisso da ligação ferroviária com o Norte de Espanha "é sério".

Num encontro com empresários, em Vila Nova de Gaia, Alfonso Rueba sublinhou mesmo que "sem interrupções, o ano de 2030 parece uma data razoável" para ter o projeto concluído.

"Não deixa de ser um compromisso, mas creio que a melhor maneira de tornar efetivos esses compromissos é insistir, estar vigilante e também reconhecer quando as coisas são bem feitas", afirmou o governante galego que disse estar "certo de que se o governo português o fizer, a parte espanhola não vai falhar" e que a Galiza fará tudo para que assim aconteça.

Alfonso Rueba defendeu mesmo que, no projeto da ligação de Alta Velocidade entre os dois países, "a parte espanhola deve estar à altura da aposta que se está a fazer em Portugal", aproveitando para lembrar que é urgente que o Governo de Madrid avance com o projeto da ligação de Vigo à fronteira.

Num outro plano, o presidente da Junta da Galiza disse estar convicto que o estatuto do trabalhador fronteiriço pode estar formalizado no próximo ano.

"Algo temos, efetivamente, de fazer. Hoje em dia, com este tráfego enorme" de trabalhadores, não faz sentido que "seja igual cruzar a fronteira entre a Galiza e o norte de Portugal a atravessar entre dois países de outras zonas da Europa, com muito menores relações", afirmou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+