Tempo
|
A+ / A-

FENPROF

32.500 alunos podem entrar nas férias de Natal sem professores

09 dez, 2023 - 14:18 • Anabela Góis , Salomé Esteves

Só desde setembro já se aposentaram cerca de 1000 professores e número tende a aumentar em 2024. Situação é mais grave no Algarve e na Grande Lisboa. À Renascença, Mário Nogueira fala da desvalorização da profissão.

A+ / A-

São 32.500 os alunos que neste momento não têm professores, estima a Fenprof a partir dos dados as ofertas de contratação direta das escolas.

No país, as zonas com maiores dificuldades são o Algarve e a zona da Grande Lisboa e Vale do Tejo.

Em declarações à Renascença, Mário Nogueira, sublinha que "haverá casos em que isto acontece desde setembro". Mas, de acordo com o secretário-geral da Fenprof, registaram-se cerca de 1000 aposentações nos últimos três meses.

Esta é uma das grandes preocupações de Mário Nogueira para o próximo ano letivo. "As aposentações vão continuar", sublinhando que a previsão é de que mais professores se reformem. o que quer dizer que em muitos casos este problemas se pode agravar.

Em muitas escolas e agrupamentos, a solução passa, atualmente, por "recorrer a outros diplomados, não profissionalizados, não professores" para assegurar horários em falta. O secretário-geral acrescenta que também este número é superior ao do ano passado.

"Esta é uma situação que não podia estar a acontecer, mas acontece", lamenta Mário Nogueira, sem deixar de atribuir responsabilidades aos sucessivos governos, não apenas este, que "foram desvalorizando a profissão".

"Se a profissão fosse atrativa", acrescenta, 20 mil professores não tinham abandonado a carreira, quer por emigração, quer por troca de profissão.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+