Tempo
|
A+ / A-

Ricardo Salgado tem Alzheimer, confirma Instituto de Medicina Legal

04 dez, 2023 - 13:36 • Ricardo Vieira

Ex-presidente do BES pode marcar presença em tribunal, nos casos em que é arguido, mas as suas declarações podem estar “comprometidas” devido à doença de Alzheimer, referem os especialistas.

A+ / A-

Peritos do Instituto de Medicina Legal confirmam que Ricardo Salgado, ex-presidente do Banco Espírito Santo (BES), tem a doença de Alzheimer, avançaram esta segunda-feira a Visão e o ECO.

Ricardo Salgado, de 79 anos, pode marcar presença em tribunal, nos casos em que é arguido, mas as suas declarações podem estar “comprometidas” devido à doença de Alzheimer, referem três especialistas.

O relatório, assinado por Fernando Vieira, Camila Nóbrega e Henrique Barreto, confirma que o ex-presidente do BES “sofre de patologia neurológica/neuropsiquiátrica, mais propriamente Doença de Alzheimer muito provável, estando não só presente a necessária semiologia clínica, como sendo o diagnóstico igualmente suportado por exames complementares de diagnóstico estruturais (imagiológicos), funcionais (neuropsicológicos) e fisiopatológicos (biomarcadores)”.

Os peritos do do Instituto de Medicina Legal indicam, no relatório sobre a condição de saúde de Ricardo Salgado, que não existe “real ou absoluta impossibilidade de comparecer” em tribunal.

Adiantam que o banqueiro até pode prestar declarações em tribunal, mas estas podem estar comprometidas pela facto de sofrer da doença de Alzheimer.

“Pode ser afirmado estar comprometida mas não impossibilitada a prestação de depoimento sobre matéria dos temas de prova, sendo que atenta diminuição das funções cognitivas apuradas e descritas, é expectável dificuldade acrescida seja na prestação seja na devida valoração pelo Tribunal, já que faculdades como a memória, a atenção, a velocidade de processamento e mesmo a linguagem e discurso estão diminuídas”, indica o relatório, citado pela Visão.

Sobre os eventuais futuros testemunhos de Salgado em tribunal, os peritos consideram que "do ponto de vista estritamente científico não se pode garantir que pormenores de natureza espacial, temporal e de conteúdo sejam relatados de forma rigorosa, já que poderá efetivamente recordar, ou não recordar".

O ex-banqueiro realizou no final de setembro uma perícia neurológica no Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses (INMLCF) de Coimbra, autorizada no Caso EDP. A perícia pode vir a ser usada pela defesa como prova noutros processos, disse na altura fonte judicial à agência Lusa.

Ricardo Salgado vai a julgamento no Caso EDP por um crime de corrupção ativa para ato ilícito, um crime de corrupção ativa e outro de branqueamento de capitais.

No processo são ainda arguidos o ex-ministro da Economia Manuel Pinho, acusado de um crime de corrupção passiva para ato ilícito, outro de corrupção passiva, um crime de branqueamento de capitais e um crime de fraude fiscal, bem como a mulher do antigo governante, Alexandra Pinho, a quem é imputado um crime de branqueamento e outro de fraude fiscal.

Ricardo Salgado é arguidos noutros processos. Em outubro, foi acusado pelo Ministério Público (MP) de corrupção e branqueamento de capitais no caso das ligações do Grupo Espírito Santo (GES) à Venezuela, numa acusação que se estende a mais seis arguidos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Petervlg
    05 dez, 2023 Trofa 08:15
    Tenham vergonha!
  • Joaquim
    04 dez, 2023 Paços 22:43
    Há hospitais prisões, ou não há? Façam uma sondagem aos portugueses e perguntem onde querem que ele fique, se em casa ou se num hospital prisão! 90 e muitos por cento dizem de certeza num hospital prisão! Pelas provas que são do conhecimento público, ele não roubou mil euros, nem 100 mil euros, nem 500 mil euros, nem 1 milhão de euros, nem 100 milhões de euros, nem 500 milhões de euros, nem 1000 milhões de euros, foram vários mil milhões de euros, que roubou! Não foi um crimezeco qualquer, foi talvez o maior roubo da história de Portugal!

Destaques V+