Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Marcelo e Costa juntos em sessão sobre Mário Soares horas antes de o Governo ser demitido

04 dez, 2023 - 12:01 • Lusa

Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa serão dois dos oradores da sessão de apresentação do primeiro volume da coleção "Obras de Mário Soares", "Portugal Amordaçado", por Jaime Gama.

A+ / A-

O Presidente da República e o primeiro-ministro vão estar juntos na quinta-feira, ao fim da tarde, em Lisboa, na reedição do "Portugal Amordaçado", de Mário Soares, horas antes de o chefe de Estado demitir formalmente o Governo.

Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa serão dois dos oradores desta sessão, na Fundação Calouste Gulbenkian, a partir das 18h30, cabendo a apresentação do primeiro volume da coleção "Obras de Mário Soares", "Portugal Amordaçado", a Jaime Gama, antigo ministro dos Negócios Estrangeiros, presidente da Assembleia da República e fundador do PS.

Na sexta-feira, durante uma visita ao Banco Alimentar contra a Fome, em Lisboa, o Presidente da República disse que iria formalizar a demissão do Governo na próxima quinta-feira, dia 7 de dezembro, e apontou a dissolução do parlamento para 15 de janeiro.

"Em princípio o último Conselho de Ministros será no dia 7 e, portanto, dia 7, à noite, será a demissão", um mês depois de o primeiro-ministro ter apresentado a demissão, afirmou o chefe de Estados.

A sessão de lançamento da reedição do "Portugal Amordaçado" terá ainda a presença do presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva, estando também previstos discursos de José Manuel dos Santos, coordenador da coleção "Obras de Mário Soares", da Imprensa Nacional - Casa da Moeda, e de um dos filhos do antigo chefe de Estado e primeiro líder do PS, João ou Isabel Soares.

José Manuel dos Santos, coordenador da coleção e das comemorações do centenário do nascimento de Mário Soares, o Portugal Amordaçado é "uma grande obra da literatura política contemporânea".

"Neste seu livro dos livros, Mário Soares mostra uma agilidade literária, uma exigência moral, uma lucidez ideológica, uma vontade incessante e uma vitalidade política que o futuro viria a confirmar e engrandecer", sustenta o escritor José Manuel dos Santos, que foi assessor do antigo Presidente da República entre 1986 e 1996.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+