Tempo
|
A+ / A-

COP28

Operação Influencer não prejudica transição energética em Portugal, diz secretária de estado da Energia

03 dez, 2023 - 12:01 • Alexandre Abrantes Neves

Ana Fontoura Gouveia relembra que o hidrogénio verde e o lítio são "importantes", porque vão criar "muitos postos de trabalho". Presente na COP28, a secretária de estado espera consensos globais, nomeadamente na eficiência energética.

A+ / A-

A secretária de Estado da Energia diz que a “Operação Influencer” não vai prejudicar a política de transição energética em Portugal.

Em declarações à Renascença, Ana Fontoura Gouveia relembra que o hidrogénio verde e o lítio são oportunidade de “criação, atração e investimento” no país e, que por isso, não podem ser desperdiçadas.

“Estas são políticas que vão criar muitos empregos. E, portanto, seria um enorme retrocesso se se de alguma forma não prosseguíssemos este caminho. (…) Devemos prosseguir o caminho confiando nas instituições, continuando o diálogo com as empresas, o diálogo com os municípios e o diálogo com as associações”, explica.

A secretária de Estado da Energia deixa também a garantia de que as entidades do Estado que trabalham nestes processos “cumprem todos os passos necessários, dentro daquilo que é o nosso enquadramento normativo”.

Sobre a Conferência das Nações Unidas para o Clima (COP28), onde está presente, Ana Fontoura Gouveia relembra que conter o aumento de temperatura abaixo dos três graus celsius “já não é suficiente”. Espera, por isso, que os países cheguem a consensos rápidos que permitam criar “estratégias eficazes” para reduzir as emissões de carbono.

“Para esta transição climática, [é preciso] triplicar a capacidade global de renováveis e duplicar aquilo que são as nossas metas de eficiência energética. (…) O que esperamos desta COP é que seja possível obter metas globais, com que todos NOS comprometemos”, remata.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+