Tempo
|
A+ / A-

Proteção Civil regista 477 ocorrências devido ao mau tempo

30 nov, 2023 - 16:15 • Diogo Camilo , Vasco Bertrand Franco , João Cunha

Maioria das ocorrências aconteceram na Grande Lisboa. Foram registadas inundações e quedas de árvore, mas não há registo de vítimas.

A+ / A-

A Proteção Civil registou 477 ocorrências até às 16h00 devido ao mau tempo esta quinta-feira, a maioria relativas a inundações, limpezas de via e queda de árvores.

À Renascença, fonte da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil indica que a maior parte das ocorrências aconteceu na Grande Lisboa - 354 das 477 (cerca de 75%). Não há registo de vítimas ou danos materiais significativos.

O agravamento do estado do tempo levou a que o Instituto Português do Mar e da Atmosfera elevasse para laranja o aviso em vigor nos distritos de Lisboa, Santarém, até às 15h00, e em Setúbal, até às 18h00.

O distrito de Castelo Branco esteve também em aviso amarelo até às 15h00, enquanto o de Portalegre continua em aviso amarelo até às 18h00. Os distritos de Évora, Beja e Faro também estão sob aviso amarelo devido à chuva, em vigor até horas diferente: até às 21h00 em Évora, até à meia-noite em Beja e até às 3h00 em Faro.

O mau tempo na região de Lisboa levou a autarquia a adiar a inauguração das iluminações e da árvore de Natal, que estava prevista para esta quinta-feira, no Terreiro do Paço.

Em Algés, a cratera com três metros de diâmetro que se abriu esta terça-feira ficou agravada devido à chuva, com uma das placas de metal a cair no leito da ribeira que atravessa a baixa da freguesia de Oeiras.

A avenida foi cortada no sentido ascendente, mas entretanto foi reaberta.

O edifício da Assembleia da República também foi alvo de uma infiltração de água.

Também a abertura da Vila Natal, em Óbidos, foi adiada de quinta para sexta-feira devido ao mau tempo e vento, por recomendação da Proteção Civil.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • EU
    30 nov, 2023 PORTUGAL 18:51
    Como me é pedido em cima para COMENTAR como está o TEMPO na minha Aldeia/Vila direi que está TUDO calmo, pois o MEU RIO ainda anda com o caudal um pouco acima das POLDRAS. A água desliza para ele com tranquilidade e não ENCHARCA, muito embora as " GATEIRAS " sarjetas não estejam totalmente desentupidas. Aqui há buracos nas estradas, mas não há CRATERAS, pois não se pode construir junto de LINHAS de água como AÍ na CIDADE. Aqui a água é encaminhada para o rio, o qual depois nos faz o favor de a levar até ao DOURO para depois os PAQUETES puderem trazer os Turistas Douro acima. Aí, a água abre crateras porque a GANÂNCIA IMOBILIÁRIA constroi onde não deve. A RIBEIRA de ALGÉS já é muito VELHINHA e quem a ALTEROU, se calhar, nem barba tinha. É velho, não brinquem com a NATUREZA, pois ela é INCERTA. Espero ter ajudado.

Destaques V+