A+ / A-

Irmã Júlia Bacelar

"Normalidade com que jovens encaram a violência sobre as mulheres tira-me do sério”

25 nov, 2023 - 13:00 • Henrique Cunha

Irmã Júlia Bacelar, pioneira no acolhimento de vítimas de violência, fala nas escolas sobre violência no namoro e conta que jovens "consideram que é uma coisa normal, por exemplo, dar quatro estalos na namorada”.

A+ / A-

O fenómeno da violência doméstica merece “uma reflexão profunda da sociedade”, defende Júlia Bacelar, religiosa da congregação das Irmãs Adoradoras Escravas do Santíssimo Sacramento, instituição pioneira no acolhimento das vítimas de violência doméstica e que criou a primeira casa-abrigo em Portugal,.

O Observatório das Mulheres Assassinadas (OMA) da União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR) contabiliza 25 mulheres assassinadas em Portugal, este ano, até15 de novembro.

Em declarações à Renascença, por ocasião do Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres, a irmã Júlia Bacelar diz que é preciso “apostar na prevenção”, porque não pode aceitar-se como normal o namorado "dar quatro estalos à namorada”.

“Eu ando muito pelas escolas a falar sobre a violência no namoro e eles consideram que é uma coisa normal, por exemplo, dar quatro estalos na namorada”, relata.

“Enquanto este tipo de mentalidade não mudar, não se resolve este problema”, assegura.

Júlia Bacelar entende ser necessário apostar na prevenção e na sensibilização. “A normalidade com que os jovens encaram a violência sobre as mulheres tira-me do sério”, afirma.

"É de bradar aos céus sentirmos que as pessoas olham para isto com tanta normalidade”, remata.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Fátima Bacelar
    25 nov, 2023 Braga 15:35
    Infelizmente, vivemos numa sociedade que dá tudo às crianças, menos valores que são essenciais ao crescimento e formação da personalidade. Deveria ser incutido nas crianças o respeito pelo outro, o amor ao próximo, a partilha, etc. Ensinar-lhes que a liberdade deles acaba quando começa a liberdade dos outros. Quando uma criança faz uma birra o mais fácil é dar-lhe o que quer. Por isso crescem pensando que podem tudo, inclusive faltar ao respeito aos Pais, logo podem faltar ao respeito a qualquer um. É lamentável a sociedade em que vivemos. A falta de respeito acaba em violência!!!

Destaques V+