Tempo
|
A+ / A-

António Costa na Alemanha em celebração dos 50 anos do PS

20 nov, 2023 - 05:41 • Lusa

O primeiro-ministro encabeça uma comitiva que integra ainda o secretário-geral adjunto do PS, João Torres, o presidente do grupo parlamentar do partido, Eurico Brilhante Dias, a presidente da Fundação Mário Soares-Maria Barroso, Isabel Soares, e Arons de Carvalho, um dos fundadores do partido.

A+ / A-

O secretário-geral do PS, António Costa, encontra-se entre esta segunda-feira e terça-feira na Alemanha, para participar numa celebração do 50.º aniversário do partido, fundado na localidade de Bad Münstereifel, e cuja liderança se apresta a deixar.

António Costa, que no passado dia 07 pediu a demissão das funções de primeiro-ministro e anunciou ainda que não se recandidatará ao cargo, depois de ter sido anunciado que é alvo de um inquérito no Ministério Público (MP) junto do Supremo Tribunal de Justiça, visita a Alemanha num dos seus últimos atos como secretário-geral do PS – as eleições direitas para a sua sucessão realizam-se já dias 15 e 16 do próximo mês -, para um evento comemorativo realizado em conjunto com o partido socialista alemão, o SPD.

Costa encabeça uma comitiva que integra ainda o secretário-geral adjunto do PS, João Torres, o presidente do grupo parlamentar do partido, Eurico Brilhante Dias, a presidente da Fundação Mário Soares-Maria Barroso, Isabel Soares, e Arons de Carvalho, um dos fundadores do partido.

Do lado da comitiva alemã, estarão Lars Klingbeil, presidente do SPD, e Martin Schultz, presidente da Fundação Friederich Ebert e antigo presidente do Parlamento Europeu, assim como a presidente do município local, entre outras individualidades.

A visita tem início ao final da tarde desta segunda-feira, em Bad Münstereifel, com um brinde à fundação do partido, ocorrida a 19 de abril de 1973 num congresso nesta localidade no sudoeste da Alemanha, na antiga República Federal Alemã (RFA), nos arredores de Bona, quando o grupo maioritário da Ação Socialista Portuguesa (ASP), liderado por Mário Soares e composto por exilados políticos, entendeu ser chegado o momento de avançar para a criação formal de um partido.

Na terça-feira, em Bad Münstereifel, e depois de uma série de eventos, da parte da manhã, entre os quais a apresentação e montagem de uma placa comemorativa dos 50 anos da fundação do PS num edifício da localidade, a comitiva encabeçada por António Costa ruma a Bona, onde o secretário-geral intervirá, juntamente com o líder do SPD, num painel de discussão sobre "Como proteger uma Europa democrática”, no quadro das eleições europeias de 2024, e numa visita ao Arquivo da Social Democracia, ambos na Fundação Friedrich Ebert.

No último sábado, António Costa participou numa Comissão Nacional do PS, que aprovou formalmente a celebração de eleições diretas para o cargo de secretário-geral do partido a 15 e 16 de dezembro, e de um congresso entre 05 e 07 de janeiro de 2024, convocados na sequência da demissão de Costa e da marcação de eleições legislativas antecipadas para 10 de março.

Para a sucessão de António Costa na liderança do PS, estão já no terreno três candidaturas: a do ex-secretário-geral adjunto e atual ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, a do deputado socialista e ex-ministro das Infraestruturas e da Habitação Pedro Nuno Santos, e a do dirigente Daniel Adrião.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+