Tempo
|
A+ / A-

Professores e não docentes iniciam greve até 29 de novembro

13 nov, 2023 - 05:45 • Lusa

O sindicato avaliou a possibilidade de suspender a greve, depois de o Presidente da República ter anunciado na quinta-feira a dissolução da Assembleia da República e realização de eleições antecipadas, mas decidiu manter o protesto ainda assim.

A+ / A-

Professores e trabalhadores não docentes iniciam, esta segunda-feira, uma greve, convocada pelo Sindicato de Todos os Profissionais da Educação (Stop), e que vai prolongar-se até dia 29, contra a proposta de Orçamento do Estado para 2024 (OE2024).

O sindicato avaliou a possibilidade de suspender a greve, depois de o Presidente da República ter anunciado na quinta-feira a dissolução da Assembleia da República e realização de eleições antecipadas, mas decidiu manter o protesto ainda assim.

O Stop critica a proposta de OE2024 para o setor da educação, considerando que "não investe, efetivamente, na escola pública, nem na dignificação de todos os que lá trabalham e estudam".

"Queremos alertar os pais e a sociedade em geral que, se nada for feito, o próximo OE irá aprofundar a degradação da escola pública e a qualidade de ensino dos nossos filhos, comprometendo de forma irreversível o seu futuro", disse o coordenador nacional, André Pestana.

O último dia da greve coincide com a data da votação final do OE2024 na Assembleia da República. O objetivo é pressionar o parlamento para que o documento "reflita, de facto, as necessidades que a escola pública tem e que não estão refletidas".

Em outubro, André Pestana explicou que a paralisação foi decidida entre mais de 100 comissões de greve e será organizada em cada escola e agrupamento, como no ano letivo anterior, através dos fundos de greve.

Além da greve, está também agendada uma manifestação nacional para dia 18 de novembro, entre o Ministério da Educação e a Assembleia da República.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+