Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Fenprof suspende protesto de professores junto ao Parlamento

09 nov, 2023 - 13:15 • Cristina Nascimento

Manifestação estava marcada para dia 13, coincidindo com a ida do ministro da Educação ao Parlamento, no âmbito da apresentação na especialidade do Orçamento do Estado para 2024. Audição do ministro João Costa foi reagendada para sexta-feira, 10 de novembro.

A+ / A-

A Fenprof suspendeu esta quinta-feira o protesto de professores junto ao Parlamento que estava agendado para a próxima segunda, 13 de novembro. Em comunicado, a organização explica que a suspensão do protesto deve-se à alteração da data de audição do ministro da Educação que vai agora acontecer sexta-feira, 10 de novembro.

"Essa antecipação em cima da hora leva a que as organizações sindicais de docentes suspendam a realização da manifestação e posterior concentração junto à AR [Assembleia da República]", lê-se na nota, afirmando ainda que a mudança "não altera a posição dos professores em relação ao mau orçamento para a Educação".

Contactado pela Renascença o gabinete do ministro João Costa esclarece que a alteração da data foi uma iniciativa do Parlamento.

A Fenprof diz aguardar que seja conhecida a decisão do Presidente da República sobre a dissolução ou não da Assembleia da República e a viabilidade da atual proposta do Orçamento do Estado para 2024 (OE 2024).

As organizações sindicais "estarão atentas às posições que os partidos políticos irão apresentar, seja no âmbito do Orçamento para a Educação (este ou outro que o substitua), seja, em próximas eleições, aos compromissos que assumirão em relação a este importante setor da vida nacional, designadamente no que concerne às condições de funcionamento das escolas e aos seus profissionais".

A nota termina lembrando que "a recuperação do tempo de serviço perdido para efeitos de carreira será reivindicação de topo", mas também vão insistir "na eliminação da precariedade, na regularização dos horários e melhoria das demais condições de trabalho, no inadiável rejuvenescimento da profissão ou na aprovação de um regime justo e adequado de mobilidade por doença".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+