Tempo
|
A+ / A-

Diretor do SNS avisa: próximo mês pode ser o pior de sempre

24 out, 2023 - 07:29 • Daniela Espírito Santo com Redação

Negociações entre Governo e sindicatos médicos, esta sexta-feira, serão decisivas, adianta Fernando Araújo, em entrevista ao jornal Público.

A+ / A-

O diretor-executivo do Serviço Nacional de Saúde (SNS), Fernando Araújo, avisa que o mês de novembro vai ser "dramático" se não houver acordo entre médicos e Governo.

Em entrevista ao jornal Público, Fernando Araújo alerta para um agravamento da situação nos hospitais: "Novembro vai ser extremamente complexo. Vai ser o pior mês, eventualmente, nestes 44 anos do SNS, se nada se alterar", assegura, apesar de ter a "expectativa" de que haja um acordo entre Governo e sindicatos médicos.

O diretor-executivo do SNS falou, igualmente, sobre aquele que poderá ser um cenário em Portugal dentro de pouco tempo: o de apenas se poder aceder às urgências após referência de um médico ou por indicação da Linha SNS24.

Para Fernando Araújo, este quadro é legal desde que haja "capacidade de dar uma resposta alternativa".

"Não se pode dizer ao doente que não pode ser atendido, mas sim que tem uma consulta agendada no dia seguinte no centro de saúde, no seu médico de família ou até no hospital".

"Estamos a trabalhar na questão jurídica", adianta Araújo, falando de uma "mudança cultural significativa" e de uma "revisão do SNS24", acompanhada de uma nova "capacidade de atendimento" nos cuidados de saúde primários.

Para além disso, Fernando Araújo adianta também que a reorganização do mapa das urgências "vai avançar até ao final do ano".

Pelo meio, Fernando Araújo faz, ainda, um apelo aos médicos para que reclamem direitos, sim, mas "de uma forma que seja eticamente irrepreensível".

"Faço um apelo aos médicos, até mais do que aos sindicatos. É importante mostrar o desagrado, negociar com o Governo, mas há limites quando isso impacta na vida das pessoas."

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • EU
    24 out, 2023 PORTUGAL 13:57
    Não posso deixar passar esta COINCIDÊNCIA, sem a partilhar conVosco. Às 14 horas e 38 minutos, recebi via SMS a informação que tenho consulta de OFTALMOLOGIA, no meu Hospital da residência, NUM dos primeiros dias do próximo Novembro. E esta HEN..........
  • EU
    24 out, 2023 PORTUGAL 12:48
    Às 11 horas e 04 minutos, disse que me tinham chamado para a consulta de Oftalmologia. Estava na cidade de Amarante. São 13 e 39, já estou em casa, já almocei, já fiz o que DEVO FAZER DIARIAMENTE após as refeições e já estou a DAR-VOS esta boa nova. Se fosse no Hospital da minha residência, SE CALHAR, ainda estaria por lá. A GRANDE pergunta que se coloca é: porquê este desfasamento ou esta diferença? Pensem e se PRECISAREM, gratuitamente, eu digo-Vos como CORRIGIR. Repito, como está a chover aproveitem e durmam uma soneca, cobertos com um cobertor da SERRA, para não se constiparem.
  • Maria
    24 out, 2023 Palmela 12:12
    O dinheiro gastam em rastreios" vale mais darem aos bombeiros " uma vez que ate ao hospital sao eles que prestam os primeiros socorros!
  • EU
    24 out, 2023 PORTUGAL 11:04
    Estou num Hospital Privado para uma consulta de Oftalmologia. No Hospital da minha residência não há vaga. Aqui marquei ontem e cá estou. No Hospital da minha residência só através do Médico de Saúde é que podia REQUISITAR a consult. Depois tinha que ir ao Director do Serviço, o PAPEL, para ser autorizada. Depois ia para uma LISTA de ESPERA e daqui a DOIS ou TRÊS ANOS é que me avisavam da data para mais tarde, meio ano, ir ao Senhor Doutor Oftalmologista. Mas caso o Senhor Doutor estivesse de GREVE, o processo RECUAVA e seguiria o CAMINHO novamente. Enquanto estou a escrever ISTO, já passou a minha vez, mas tenho a CERTEZA que não demoram MUITOS MINUTOS a ser chamado. Se parar de chover, tenham um bom dia. CHAMARAM-ME AGORA.

Destaques V+