Tempo
|
A+ / A-

Habitação

Jovens donos de casa caíram para metade no espaço de 20 anos

05 out, 2023 - 19:32 • João Pedro Quesado

A percentagem de famílias com pessoas nascidas depois de 1997 e casa própria é mais de metade em comparação com a geração nascida entre 1977 e 1986. Gerações mais novas precisam muito mais de empréstimos para a habitação.

A+ / A-

Cerca de 40% das famílias de pessoas nascidas após 1986 eram proprietárias da casa onde viviam em 2021. Esta taxa de propriedade nos jovens entre os 25 e os 34 anos tem vindo a reduzir-se ao longo do tempo. Em 2001, cerca de 70% das famílias jovens eram donas da sua própria casa.

Esta evolução na idade em que os portugueses se tornam proprietários da sua residência principal foi apontada esta quarta-feira, no mais recente Boletim Económico do Banco de Portugal. Os dados são dos vários Censos do Instituto Nacional de Estatística (INE).

A instituição liderada pelo ex-ministro das Finanças, Mário Centeno, destaca que a geração nascida entre 1967 e 1976 é "aquela em que as famílias se tornaram proprietárias mais cedo". Em 2001, quando estas pessoas tinham entre 25 e 34 anos, cerca de 70% das famílias já eram donas da casa onde viviam.

Mas não é só a comparação com as gerações mais novas que é favorável aos portugueses mais velhos da chamada Geração X (definida geralmente como os nascidos entre 1965 e 1984). Quando eram jovens, apenas 42% e 55% das gerações de 'baby boomers' em Portugal - as pessoas que nasceram entre 1947-56 e 1957-66 - eram proprietárias da sua casa.

O que explica estas diferenças geracionais? O Banco de Portugal aponta que, "nos 20 anos seguintes" ao fim da década de 1970, o país assistiu "a uma recomposição acentuada do regime de ocupação da residência a favor da propriedade".

Esta "recomposição" foi favorecida por vários fatores, diz a instituição: "o crescimento económico do país, que se transmitiu ao rendimento das famílias", um "maior acesso ao crédito" e a integração na União Europeia.

O Banco de Portugal anota mais dois fatores que contribuíram para esta mudança estrutural: a "liberalização dos mercados financeiros" e a "existência de um mercado de arrendamento muito regulamentado", que era "pouco atrativo para os senhorios" - o que, por sua vez, "limitava a oferta de casas para arrendamento".

Outra conclusão do Banco de Portugal é que a percentagem de proprietários jovens com empréstimos é "bastante mais elevada" nas gerações mais recentes. Entre os 25 e os 34 anos, cerca de 85% dos proprietários nascidos entre 1977 e 1986 tinham empréstimo. Na geração anterior, eram cerca de 65%. E na anterior a essa, a dos nascidos entre 1957 e 1966, cerca de 40% dos jovens tinham um empréstimo à habitação.

A percentagem de jovens nascidos entre 1987 e 1996 com empréstimo para a habitação em 2021 também era elevada, mas fica abaixo da geração anterior, em cerca de 70%. Nesse ano, menos de 50% dos jovens nascidos após 1997 tinham empréstimo e eram proprietários.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+