Tempo
|
A+ / A-

Número de veículos em excesso de velocidade caiu 80% com os novos radares

02 out, 2023 - 11:44 • Lusa

Em todo o Sistema Nacional de Controlo de Velocidade (SINCRO - 61 radares iniciais e 37 novos), durante o mês de setembro, foram fiscalizados pela ANSR quase 20 milhões de veículos, um aumento de 76%, quando comparado com igual período do ano passado.

A+ / A-

Os veículos em excesso de velocidade diminuíram 80% nas zonas onde há um mês foram instalados novos radares, mas, face ao ano anterior, as infrações duplicaram, segundo a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

Desde o dia 1 de setembro, as estradas portuguesas passaram a contar com 37 novos radares, dos quais 12 de controlo da velocidade média.

Num balanço do primeiro mês, as autoridades indicam que não se registaram feridos graves ou mortos na zona de influência dos novos radares e o "número de veículos em excesso de velocidade reduziu 80%, quando comparado com as medições efetuadas antes da entrada em funcionamento".

Em todo o Sistema Nacional de Controlo de Velocidade (SINCRO - 61 radares iniciais e 37 novos), durante o mês de setembro, foram fiscalizados pela ANSR quase 20 milhões de veículos, um aumento de 76%, quando comparado com igual período do ano passado, referem as autoridades em comunicado.

No mesmo período, o número de infrações registadas foi de 112.744 e a taxa de infração aumentou de 0,29% para 0,57% entre 2022 e 2023, ou seja, por cada mil veículos fiscalizados, seis foram multados este ano, enquanto no ano passado eram apenas três.

"Os objetivos da ANSR nas zonas de influência dos novos radares, neste período, foram integralmente atingidos, nomeadamente: uma forte diminuição na velocidade de circulação dos veículos, uma forte diminuição dos veículos em excesso de velocidade e uma sinistralidade rodoviária com índice de gravidade de zero, com zero mortos e zero feridos graves", pode ler-se no comunicado.

Os "novos locais de controlo de velocidade foram selecionados com base em dois critérios fundamentais: a sinistralidade grave e a velocidade, nomeadamente onde o excesso de velocidade se revelou relevante para essa sinistralidade", recorda a ANSR.

Nestes locais, nos últimos cinco anos, morreram 115 pessoas, representando um quarto das mortes que ocorreram nos 175 locais de concentração de acidentes mortais identificados pela ANSR.

A redução média de velocidade foi mais evidente (95%) nos radares nas Estradas Nacionais 10 (Vila Franca de Xira) e 206 (Fafe) e Benavente (EN119) foi onde se registaram mais excessos de velocidade.

O aumento de infrações deverá baixar, segundo a ANSR, admitindo o efeito dissuasor destes radares,"à medida que o esforço de divulgação e promoção da localização de radares se desenvolve".

Para tal, "ANSR adotou uma política de total transparência, publicitando e divulgando antecipadamente os locais de instalação dos radares, através da campanha "Os Radares Salvam Vidas" em diferentes meios de comunicação, do site www.radaresavista.pt e da sinalização dos radares, garantindo o conhecimento público da localização de todos os radares SINCRO", pode ainda ler-se no comunicado.

Tópicos
Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+