Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Urgência de obstetrícia do Hospital de São Francisco Xavier reaberta

23 set, 2023 - 13:04 • João Pedro Quesado , Cristina Nascimento

Serviços de urgência obstétrica dos hospitais Beatriz Ângelo e Garcia de Orta também estão fechadas, devido ao plano "Nascer em Segurança". Diretor do serviço diz que não há capacidade de internamento.

A+ / A-

As urgências de obstetrícia do Hospital de São Francisco Xavier reabriram, confirmou a Renascença.

O diretor do serviço indica à Renascença que pelo menos duas camas ficaram livres durante esta tarde de sábado.

As urgências não estavam a receber ambulâncias, durante a manhã, numa altura em que as mesmas urgências dos hospitais Beatriz Ângelo, em Loures, Garcia de Orta, em Almada, e Santa Maria, em Lisboa, também estão fechadas.

De acordo com Fernando Cirurgião, diretor das urgências de obstetrícia, a equipa de médicos e outros profissionais de saúde está completa e as urgências estão a funcionar, mas sem capacidade de internamento.

"Quem precisa de ir à urgência pode dirigir-se ao hospital, só que as camas de internamento destinadas a internamento, que são 12 camas, estão ocupadas com grávidas que acorreram ao hospital, que tiveram indicação para ficar internadas", explicou o diretor do serviço. "Nesta altura e durante, provavelmente, as próximas horas, há uma dificuldade técnica que é inultrapassável", acrescentou.

As urgências de obstetrícia dos hospitais Beatriz Ângelo, em Loures, e Garcia de Orta, em Almada, também estão fechadas - mas de forma programada, devido ao plano "Nascer em Segurança".

Já a maternidade do Hospital de Santa Maria está fechada devido a obras.

"Quando maternidades que têm uma capacidade e tem uma área de influência grande e com previsibilidade de parturientes também grande estão encerradas, então, sem dúvida alguma que o São Francisco, que é daquelas maternidades, juntamente com a Alfredo da Costa, que deverão estar sempre operacionais, chega uma altura que poderão estar lotadas", admitiu Fernando Cirurgião.

A Renascença contactou o Ministério da Saúde para obter esclarecimentos sobre a situação das maternidades na área de Lisboa, mas o gabinete de Manuel Pizarro remeteu para a Direção Executiva do Serviço Nacional de Saúde.

[Atualizado às 18h30]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+