Tempo
|
A+ / A-

Homem de 30 anos detido por "fortes indícios" de violar duas mulheres em Lisboa

23 set, 2023 - 10:32 • Lusa

As vítimas, com 21 e 22 anos, foram atraídas através de um esquema fraudulento nas redes sociais. O suspeito tanto oferecia emprego como dizia que arrendava um quarto.

A+ / A-

Um homem de 30 anos foi detido por "fortes indícios" de ter violado duas mulheres em Lisboa, num dos casos sob ameaça de arma branca, anunciou este sábado a Polícia Judiciária.

As vítimas, com 21 e 22 anos, foram atraídas através de um esquema fraudulento nas redes sociais, em que o detido se apresentava como alguém que oferecia emprego ou que tinha um quarto para arrendar, precisou a PJ, em comunicado. .

"Os últimos factos criminosos ocorreram no passado domingo, após o autor ter conseguido marcar encontro com a vítima, através de um esquema insidioso", lê-se no comunicado. .

Ao encontrarem-se na via pública, "de imediato o agressor a ameaçou com uma arma branca e a levou para uma zona arborizada, longe de áreas edificadas, para ali a submeter a sevícias sexuais", precisou a mesma fonte.

Os elementos de prova, entretanto reunidos, permitiram fazer a conexão deste caso com outra situação de violação, ocorrida em meados de agosto, em que o autor conseguiu chegar à vítima através de esquema fraudulento semelhante, também através de rede social e fazendo-se passar por uma pessoa que tinha um quarto para arrendar.

"Para o desenvolvimento da investigação foi fundamental a intervenção pericial do Laboratório de Polícia Científica da PJ, designadamente na recolha, análise, comparação e identificação célere, dos vestígios biológicos", destacou a PJ.

O detido, já referenciado pela polícia, foi presente a primeiro interrogatório judicial, no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa, tendo ficado em prisão preventiva. .

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+