Tempo
|
A+ / A-

Governo português "solidário e disponível para apoiar" Marrocos após sismo

09 set, 2023 - 10:42 • Lusa

O primeiro-ministro, António Costa, disse hoje que "Portugal está solidário e disponível para apoiar Marrocos", abalado por um forte sismo na sexta-feira à noite, que já causou pelo menos 632 mortos.

A+ / A-

O primeiro-ministro, António Costa, disse hoje que "Portugal está solidário e disponível para apoiar Marrocos", abalado por um forte sismo na sexta-feira à noite, que já causou pelo menos 632 mortos.

"O sismo da noite passada em Marrocos deixa-nos profundamente consternados e apresentamos as nossas condolências a sua majestade o rei, às famílias vitimadas e a todo o povo marroquino, nosso vizinho", escreveu na rede social X (ex-Twitter).

Também o presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva, recorreu à mesma rede social para lamentar a "terrível notícia" do terramoto em Marrocos, lamentando as "perdas humanas irreparáveis" e manifestando "toda a solidariedade" com o "país amigo e vizinho".

O número de vítimas no forte sismo que abalou Marrocos subiu hoje para 632 mortos, segundo um novo balanço divulgado pelo Ministério do Interior marroquino.

Também há 329 feridos, 51 dos quais em estado grave, disse o ministério, num comunicado citado pela agência espanhola EFE.

O ministério precisou que 290 pessoas morreram na província de Al Haouz, a sul de Marraquexe e perto do epicentro, 190 em Taroudant, 89 em Chichaoua, 30 em Ouarzazate, 13 em Marraquexe, 11 em Azilal, cinco em Agadir, três em Casablanca e uma em Al Youssoufia. .

O sismo atingiu a magnitude 6,9 na escala de Richter com epicentro na localidade de Ighil, 63 quilómetros a sudoeste da cidade de Marraquexe.

O terramoto, que ocorreu a uma profundidade de 18,5 quilómetros às 23:11 locais (mesma hora em Lisboa), foi sentido em Portugal e em Espanha.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) precisou que foi sentido nos concelhos de Castro Marim, Faro, Loulé, Portimão, Vila Real de Santo António (Faro), Cascais, Lisboa, Torres Vedras, Vila Franca de Xira (Lisboa), Almada, Setúbal e Sines (Setúbal).

Foi ainda sentido com menor intensidade nos concelhos de Coimbra, em Albufeira, Olhão, Silves (Faro), Alenquer, Loures, Mafra, Oeiras, Sintra, Amadora, Odivelas (Lisboa), Santo Tirso, Vila Nova de Gaia (Porto), Santiago do Cacém, Seixal e Sesimbra (Setúbal), acrescentou o instituto.

De acordo com as imagens reproduzidas pelos meios de comunicação social, nas redes sociais e por testemunhas, o terramoto causou danos consideráveis em várias cidades.

O tremor também foi sentido em Rabat, Casablanca, Agadir e Essaouira, provocando o pânico entre a população. .

Muitas pessoas saíram para as ruas dessas cidades, temendo que as casas desabassem, de acordo com imagens divulgadas nas redes sociais.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+