Tempo
|
A+ / A-

Governo avalia aumento de casos Covid, mas não avança com medidas adicionais para já

07 set, 2023 - 14:41 • Lusa

A ministra da Presidência insistiu que o Ministério da Saúde está a acompanhar a evolução do número de novas infeções, salientando "a importância da vacinação contra a gripe e a covid-19 que se inicia ainda neste mês de setembro".

A+ / A-

A ministra da Presidência afirmou, esta quinta-feira, que o Governo está a avaliar a tendência relativa a um aumento do número de casos de covid-19 em Portugal, mas adiantou que, para já, não vai tomar medidas adicionais preventivas.

Esta posição foi transmitida por Mariana Vieira da Silva no final da reunião do Conselho de Ministros, depois de questionada se o Governo admitia regressar à imposição do uso de máscaras em locais públicos fechados, designadamente em farmácias ou centros de saúde, tal como já acontece no Hospital de Santa Maria em Lisboa.

"Quando o Governo retirou a obrigatoriedade do uso de máscaras em espaços públicos frisou sempre que os estabelecimentos de saúde continuavam a ter as suas regras próprias, podendo adaptá-las em função das circunstâncias. O Governo tem avaliado a evolução do número de casos de covid-19 e, nesse quadro, o Hospital de Santa Maria tomou a decisão -- uma decisão que é suficiente neste momento", considerou.

A ministra da Presidência insistiu que o Governo, particularmente através do Ministério da Saúde, está a acompanhar a evolução do número de novas infeções, salientando neste contexto "a importância da vacinação contra a gripe e a covid-19 que se inicia ainda neste mês de setembro".

"Quando o Governo anunciou o fim de medidas específicas no âmbito do combate à pandemia da covid-19, recordo-me que destaquei que o acompanhamento passava para o âmbito do Ministério da Saúde, que está a fazer a análise dos dados e que está atento a uma subida de casos que acontece em muitos países da Europa", referiu.

No entanto, de acordo com a titular da pasta da Presidência, "neste momento, a avaliação é a de que não são necessárias medidas adicionais".

"Do ponto de vista da capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde (SNS), perante os números conhecidos, [a situação] mantém-se controlada. O que não significa que certos estabelecimentos não tomem decisões e que todos nós, em particular no contexto de relações com pessoas mais vulneráveis, adotemos cuidados que hoje, depois da pandemia, todos conhecemos", acrescentou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+