A+ / A-

Incêndios

Bombeiros da Finlândia e Letónia apoiam autoridades portuguesas nos incêndios

01 set, 2023 - 08:03 • Lusa

Um módulo finlandês de combate a incêndios florestais encontra-se desde o dia 16 de agosto integrado na Força Especial de Proteção Civil. Já os operacionais letões chegam esta sexta-feira.

A+ / A-

Bombeiros finlandeses e letões estão destacados em Portugal, no âmbito Mecanismo de Proteção Civil da União Europeia (RescEU), para apoiar as autoridades portuguesas no combate aos incêndios rurais.

De acordo com a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), um módulo finlandês de combate a incêndios florestais encontra-se, desde o dia 16 de agosto, integrado na Força Especial de Proteção Civil (FEPC).

"Os 24 operacionais estão localizados nas bases da Sobreira Formosa (Castelo Branco) e de Trancoso (Guarda) e a experiência tem possibilitado o intercâmbio, a aprendizagem mútua, o trabalho conjunto e a ajuda internacional durante a época de fogos rurais", indicou à agência Lusa.

Sobre o módulo letão, a ANEPC adiantou que chega esta sexta-feira e é composto por 16 elementos.

Os operacionais provenientes da Letónia ficarão inicialmente no Comando Nacional da FEPC, em Almeirim, no distrito de Santarém, "sendo posteriormente reposicionados em outras bases".

Esta sexta-feira, pelas 18:45, a secretária de Estado da Proteção Civil, Patrícia Gaspar, vai visitar, juntamente com o presidente da ANEPC, Duarte da Costa, os módulos da Finlândia e da Letónia no Comando Nacional da FEPC.

Numa nota, o Ministério da Administração Interna lembrou que Bruxelas "decidiu reforçar o dispositivo de combate aos fogos afeto ao RescEU na sequência dos incêndios que assolaram vários países europeus em 2022".

"A par da aquisição de mais aviões, foram pré-posicionados meios humanos e aéreos em vários Estados-membros para poderem responder de forma mais rápida a pedidos de ajuda externa", indicou o MAI.

O RescEU foi criado em 2001, pela Comissão Europeia, e reformado em 2013. .

Este mecanismo tem como objetivo ajudar os países da UE e os países terceiros a dar resposta a emergências, como catástrofes naturais, crises sanitárias ou conflitos. .

Os países podem pedir apoio sempre que uma emergência sobrecarrega as suas capacidades de resposta. .

"Nesse contexto, Portugal disponibilizou pela primeira vez dois aviões anfíbios como reserva da força aérea europeia de combate aos incêndios rurais -- estacionados em Castelo Branco -- e acolheu 65 bombeiros (da Finlândia e da Letónia) que integram o dispositivo do RescEU", acrescentou. .

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António Costa
    01 set, 2023 Porto 08:49
    Boa notícia.

Destaques V+