Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Sociedade Portuguesa de Obstetrícia

Novo "impasse". Obstetras criticam revisão da reforma dos blocos de partos

15 ago, 2023 - 10:21 • João Pedro Quesado , Isabel Pacheco

Nuno Clode considera que o nascimento de uma nova rede de referenciação hospitalar em ginecologia, obstetrícia e neonatologia está a ser "um parto muito difícil". A revisão da segunda proposta só deve começar em setembro.

A+ / A-

A Sociedade Portuguesa de Obstetrícia considera que a revisão da proposta da rede de referenciação dos blocos de partos é um novo "impasse" no estabelecimento deste sistema, cuja implementação é "fundamental".

Em declarações à Renascença, o presidente da Sociedade Portuguesa de Obstetrícia e Medicina Materno-Familiar (SPO) descreve o nascimento de uma nova rede de referenciação hospital em ginecologia, obstetrícia e neonatologia como "um parto muito difícil".

"Voltamos a ter um impasse e neste momento, para as grávidas e para os profissionais de saúde, de facto, não é o ideal", declara Nuno Clode. "A referenciação é fundamental, de modo a que as senhoras saibam onde se dirigir e os próprios médicos saibam aonde dirigir" as grávidas, diz.

O presidente da SPO afirma que pensava que esta reforma "já estaria muito mais adiantada e que provavelmente poderia a breve trecho ser aprovada", já que "é fundamental para olear todo este sistema de referência em rede do Serviço Nacional de Saúde".

De acordo com o jornal Público, a Direção Executiva do Serviço Nacional de Saúde (SNS) decidiu rever a proposta de reforma desta rede de referenciação. A primeira proposta provocou grande controvérsia e críticas por propor a concentração de seis blocos de partos, que caiu na segunda proposta do grupo de trabalho coordenado por Diogo Ayres de Campos.

No entanto, a equipa de Fernando Araújo optou pela revisão dessa segunda proposta, que justifica por esta ser sido alvo de "um conjunto alargado de críticas". Como é preciso reunir com os serviços dos hospitais que têm maternidades, assim como com as respetivas direções, o processo apenas deve ser retomado após as férias, em setembro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+