A+ / A-

Monkeypox. Portugal ultrapassa barreira dos mil casos, com 49 novas infeções desde junho

31 jul, 2023 - 11:08 • Lusa

De acordo com a DGS, todos os novos casos são homens, maioritariamente residentes na Região de Lisboa e Vale do Tejo.

A+ / A-

Quarenta e nove casos de mpox foram detetados em Portugal, entre 01 de junho e 28 de julho, resultantes de um novo surto, segundo dados divulgados pela Direção-Geral da Saúde esta segunda-feira.

“Este novo surto caracteriza-se por uma estirpe diferente do surto de 2022, refletindo a reintrodução do vírus no grupo de maior risco em Portugal e cadeias de transmissão potenciadas no contexto de eventos e festivais de verão”, adianta a Direção-Geral da Saúde (DGS) num comunicado publicado no ‘site’.

De acordo com a DGS, todos os casos são homens, maioritariamente residentes na Região de Lisboa e Vale do Tejo (38), com idade entre os 22 e os 55 anos (mediana 34 anos).

"Dos casos confirmados, 29 (74%) são homens que tiveram sexo com homens", refere a autoridade de saúde.

Considerando os 21 dias anteriores ao início dos sintomas, 17 (44%) casos referem frequência de saunas, 33 (85%) tiveram contactos sexuais com múltiplos parceiros e 18 (46%) participaram em atividades de sexo em grupo e/ou anónimo, alguns em contexto de festivais de verão; nenhum caso refere viagens ao estrangeiro”.

Desde o início do surto de mpox em maio de 2022 e até 28 de julho de 2023, foram reportados em Portugal 1002 casos confirmados laboratorialmente, incluindo um óbito, sendo que desde o passado dia 27 de março que não eram reportados novos casos em Portugal.

Segundo dados da DGS, foram vacinadas, entre 16 de julho de 2022 a 28 de julho de 2023, 4.823 pessoas, a maioria das quais na região de Lisboa e Vale do Tejo. Das 8.009 inoculações, 7.054 ocorreram em contexto de pré-exposição.

Face ao ressurgimento de novos casos em Portugal, a DGS reforça a necessidade do isolamento dos casos e da interrupção das cadeias de transmissão entre expostos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+